Posts

Brasileiras desconsideram sintomas dos distúrbios da tireoide

 

Quando a tireoide trabalha demais (hipertireoidismo) ou de menos (hipotireoidismo), provoca uma confusão no organismo. O problema é que nem todo mundo sabe que os hormônios produzidos por essa glândula determinam o ritmo de diversos processos que ocorrem no corpo, como mostra um estudo realizado este ano pela Censuswide a pedido da Merck, uma empresa farmacêutica alemã.

Isso porque, após a análise de 6.171 questionários respondidos por mulheres de sete países (Arábia Saudita, Brasil, Chile, França, Indonésia, Itália e México), os pesquisadores observaram que 49% das voluntárias não associavam, por exemplo, insônia e sonolência ao funcionamento da tireoide. Para elas, esses desgastes eram resultado da correria do dia a dia.

A tireoide das brasileiras

Os números registrados por aqui merecem atenção especial. Embora a maioria das 1.003 entrevistadas do nosso país tenha associado disfunções na tireoide a sintomas mais clássicos — como alterações de peso (81%), cansaço excessivo (67%) e ansiedade (57%) — outras consequências foram deixadas de lado. A falta de concentração só foi ligada a encrencas nessa glândula por 35% das brasileiras e a dificuldade para se sentir motivado, por 43%.

Para piorar, mudanças repentinas na menstruação, insônia, dificuldade para engravidar, se concentrar ou evacuar e perda progressiva da audição foram citadas como “problemas do cotidiano com os quais devemos conviver” por 22%, 20, 30%, 22%, 18%, 27% das participantes, respectivamente.

“Esse tipo de distúrbio é de cinco a 10 vezes mais comum entre as mulheres”, estima Laura Ward, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), de São Paulo. “Acredita-se que essa prevalência tenha origem genética ou hormonal. No entanto, ainda é cedo para eleger uma causa”, completa.

Mesmo que os sintomas do hiper e do hipotireoidismo também possam ser ocasionados por estresse ou outros fatores, negligenciar a possível relação com uma doença é perigoso. Ao notar sinais suspeitos (elencamos alguns abaixo), vale a pena investigar sua origem, principalmente se eles forem persistentes. Há tratamentos que podem controlar o problema e, assim, devolver a qualidade de vida de seus portadores.

Sintomas de hipotireoidismo

  • Fadiga
  • Constipação
  • Ganho inexplicável de peso
  • Sensibilidade exagerada ao frio
  • Inchaço no rosto
  • Pele ressecada
  • Fraqueza, dor, sensibilidade ou rigidez muscular
  • Esquecimentos ou dificuldade de se concentrar
  • Desânimo
  • Alterações no ciclo menstrual

Sintomas de hipertireoidismo

  • Insônia
  • Diarreia
  • Perda inexplicável de peso
  • Suor excessivo
  • Ruborização da pele
  • Olhos saltados
  • Taquicardia (mais de 100 batimentos por minuto)
  • Ansiedade, irritabilidade ou nervosismo
  • Hiperatividade
  • Alterações no ciclo menstrual

Fonte: Revista Saúde

→ Confira outra matéria sobre o tema com o dr. Carton Murilo Lopes.

Tireoide equilibrada, organismo regulado

 

O diretor técnico da Anjos do Lar, Carton Murilo Lopes, esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou com os ouvintes sobre as doenças da tireoide, glândula em formato semelhante ao de uma borboleta que fica localizada na região do pescoço e tem a função de regular o organismo. O tema é de extrema importância por que os hormônios produzidos pela tireoide (T3 e T4) regulam desde as mínimas funções cerebrais até aquelas relacionadas ao intestino e aparelho genital.

Doutor Carton explica que este órgão importante do corpo humano envolve vários problemas e doenças autoimunes, mas dois são mais comuns: problemas de função e nódulos. Ambos podem ser diagnosticados com exames laboratoriais e em alguns casos é necessário um ultrassom ou outro exame complementar. O exame clínico com um profissional habilitado também é fundamental!

As mulheres são mais acometidas pelas doenças de tireoide, mas a menopausa não tem nenhuma ligação com elas. Os homens também são afetados, numa proporção de 1 para 5 mulheres.

Problemas de função

Os problemas de função ocorrem quando a glândula está lenta ou muito rápida, produzindo muito ou pouco hormônio. Esse desiquilíbrio causa hipotireoidismo, no caso de pouca produção, ou hipertireoidismo, no caso de muita produção.

O tratamento, nestes casos, é com medicação. No caso do hipotireoidismo, é preciso repor o hormônio não produzido para regularizar o dia a dia do organismo. No caso do hipertireoidismo é preciso medicar para frear o hormônio.

Importante salientar que a dosagem e o tipo de medicação para regular essa disfunção hormonal mudam caso a caso, conforme o estágio da doença e a idade do paciente. Portanto, não pode se automedicar, combinado?!

Quais são os sintomas do hipotireoidismo?

  • Sono;
  • Preguiça;
  • Cansaço;
  • Queda de cabelo;
  • Pele seca;
  • Unha fraca;
  • Intestino preguiçoso.

Quais são os sintomas do hipertireoidismo?

  • Emagrecimento;
  • Coração acelerado;
  • Suor excessivo;
  • Diarreia.

Como prevenir?

  • Com hábitos de vida saudáveis que aumentem a imunidade:
  • 8h de sono por dia;
  • Alimentação regular sem muito industrializado ou agrotóxico;
  • 150 minutos de atividades física por semana.

Nódulos

Quando o exame clínico identifica nódulos (caroços) na tireoide é importante certificar-se de que são benignos e monitorá-los. A maioria deles é benigno. Importante salientar que nódulo não é câncer ou tumor!

Um ultrassom pode dar essa resposta, na maioria das vezes, mas se preciso são solicitados outros exames e, em último caso, é feita uma biópsia.

Se o nódulo está se comportando bem, basta acompanhar essa evolução. Caso ele evolua, com suspeita de malignidade, talvez seja necessário retirá-lo com cirurgia. A partir de então, basta tomar medicação para repor os hormônios, já que a ‘fábrica’ não existe mais.

Importante salientar que essa avaliação deve ser feita por médico habilitado e os exames devem ser feitos em laboratório confiável para evitar a evolução da doença, já que os exames de tireoide são tão específicos.

Recomendações importantes!

  • Mantenha hábitos de vida saudáveis;
  • Não se automedique jamais;
  • Faça checkup com exames de perfil hormonal anualmente;
  • Busque avaliação de profissional desta área;
  • Não pesquise na internet, fale com um médico!

Mais perguntas

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz algumas participações especiais para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!