Posts

O papel da nutrição no diabetes

O número de diabéticos no Brasil é alto e cresce a cada dia.  A doença, além de silenciosa e demorada para se manifestar, causa graves danos a vários órgãos num longo prazo, o que exige muita atenção e cuidado. A nutricionista da Anjos do Lar Alini Faqueti esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou com os ouvintes sobre o papel da alimentação nessa enfermidade. Exatamente, a diabetes tipo 2, a mais comum, é causada principalmente pela má alimentação, especialmente quando há exagero no consumo de açúcares.

A dr. Alini explica que há também outros fatores de risco para a diabetes, doença caracterizada pelo aumento do açúcar no sangue. São eles:

  • Vida estressante;
  • Vida sedentária;
  • Sobrepeso/obesidade;
  • Histórico familiar;
  • Idade avançada.

Os fatores de risco que podem levar à diabetes são bastante comuns entre os brasileiros, motivo pelo qual a luz amarela está acesa no país. Se você se encaixa em um ou mais destes fatores de risco, é importante que procure um profissional e faça um checkup. Esse procedimento deve ser anual, identificando ou não a doença numa primeira rodada de exames. Com o passar dos anos, vamos acumulando no corpo alimentos ruins, falta de atividade física entre outros danos, o que significa que a doença pode demorar um pouco a se manifestar.

Como posso saber se estou doente ou propenso a ter diabetes?

Você se encaixa em alguns dos fatores de risco acima? Sente muita sede ou vontade de urinar? Tem dor nas pernas com frequência ou um borrado na vista? Você come muito doce ou está com sobrepeso? Sente fraqueza com frequência? CUIDADO!!

A nutricionista avisa que diabetes não é o fim da vida, é um novo começo para se cuidar mais e viver melhor. Então vamos entender o que devemos fazer para tratar ou evitar a doença?

  • Procure um profissional e faça um checkup (anualmente);
  • Ao diagnosticar a doença, pare de consumir açúcar de qualquer tipo, seja mel, demerara ou mascavo;
  • Substitua alimentos refinados pelos integrais: arroz, macarrão, pão;
  • Coma apenas 1 carboidrato por refeição, complementando com outros alimentos;
  • Coma 3 frutas ao longo do dia, variando-as e sem fazer suco;
  • Opte sempre por cereais integrais, alimentos ricos em fibra e vegetais;
  • Tome bastante líquido;
  • Faça atividade física;
  • Sem puder não usar adoçantes, melhor, mas se quiser opte pelos naturais, como stevia ou xilitol (adoçantes artificiais não são absorvidos pelo corpo e podem causar câncer em longo prazo).

Quem escolhe não tomar os cuidados necessários corre graves riscos, uma vez que o diabetes pode dar complicações em vários órgãos do corpo. O açúcar é uma partícula grande que entope os pequenos vasinhos. Então pode haver problemas oculares, renais, no fígado, falta de sensibilidade nos pés e nas mãos e até impotência sexual.

Mas afinal, qual é a relação da diabetes com a obesidade?

De acordo com a dr. Alini, o sobrepeso favorece o aparecimento da diabetes. Ela explica que o corpo fica como se estivesse inflamado, o que ataca os vasos. Quando temos obesidade, as células, os órgãos ficam com uma camada de gordura extra que gera resistência à insulina, hormônio produzido para guardar o açúcar. Com isso, ele acaba não chegando aonde deveria chegar.

E a diabetes tipo 1?

A diabetes tipo 1 é a mais grave, pois apresenta maior deficiência de insulina, motivo pelo qual é preciso aplicá-la diariamente. Nestes casos, o cuidado é redobrado na alimentação também. Uma situação comum em quem tem esse tipo de diabetes é ter picos de hipoglicemia (queda brusca de açúcar no sangue). Nestes casos, é importante corrigir o índice, comendo uma balinha doce ou duas. A partir do momento em que estabilizar, volta-se à dieta e aos cuidados, entre os quais, alimentar-se de 3 em 3 horas.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

Envelhecer bem é possível

O envelhecimento é um processo natural para todos, mas é preciso acompanhá-lo com atenção e respeito. No que diz respeito à saúde, o profissional responsável por esse acompanhamento é o geriatra. A dra. Thaís Barreto Teixeira, geriatra da Anjos do Lar, esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou sobre os cuidados que devemos ter com nossos pais, avós e consigo mesmos, para garantir uma vida mais saudável e longínqua.

De acordo com a médica, o ideal é começar o acompanhamento com um geriatra aos 60 anos, mas muitos pacientes começam aos 35, 40 ou 50 para atuar de forma preventiva. Mas independentemente da idade, cada indivíduo tem suas particularidades, por isso é fundamental conhecer o histórico de cada um para ter um diagnóstico assertivo, motivo pelo qual é preciso procurar um profissional sempre que surgirem alguns sintomas. Saiba quais são eles:

Porque preciso de um geriatra:

  • Já tenho 60 anos ou mais;
  • Sinto muita sonolência durante o dia;
  • Tenho insônia;
  • Percebi perda de apetite;
  • Estou meio apático ou sem disposição;
  • Às vezes sinto um pouco de desorientação espacial;
  • Sintomas de perda de memória ou capacidade de concentração;
  • Tomo muitos medicamentos;
  • Fico triste com frequência;
  • Os problemas familiares me afetam muito.

Problemas comuns nos idosos que exigem cuidado:

  • Desnutrição;
  • Depressão, hipersensibilidade;
  • Solidão;
  • Desidratação;
  • Anemia e falta de algumas vitaminas;
  • Fraturas, artrites e artroses;
  • Déficit cognitivo;
  • Síndromes demenciais;
  • Metabolismo lento;
  • Distúrbios do sono.

A dra. Thaís explica que muitos sintomas são comuns da idade, mas devem ser monitorados e tratados para que sejam minimizados, garantindo mais qualidade de vida ao idoso e evitando doenças. “Quando envelhecemos, nosso corpo fica mais lento, por dentro e por fora. Nossos órgãos funcionam em outro ritmo, por isso redobra a atenção”, explica.

Ela reforça que nestes casos é preciso trabalhar a prevenção, o que começa por procurar um médico. Para esta primeira consulta, a doutora passa algumas recomendações:

  • Ter um familiar presente para acompanhar o tratamento;
  • Levar os exames mais recentes;
  • Levar a Carteirinha de Vacinação do Idoso;
  • Levar os medicamentos que está administrando;

Algumas recomendações importantes:

  • Tomar muito cuidado com a polifarmácia – interações medicamentosas (quando tomamos mais de 5 remédios diferentes). Às vezes dá para otimizar e reduzir o número de medicamentos administrados;
  • Organizar bem os horários com tabelinhas ou caixinhas, para não se perder na administração;
  • Reduzir a soneca da tarde. Idosos dormem menos, mas precisam ter sono restaurador à noite;
  • Cuidar com os medicamentos para dormir que causam dependência, como Rivotril. Se você toma, precisa desmamar gradativamente, não pare sozinho, mas procure saber se não pode substituir por algum menos agressivo. O Índice de quedas e fraturas é alto em quem toma estes medicamentos;
  • Dormir demais pode ser depressão. Procure orientação, pode ser necessário um acompanhamento psicológico, psiquiátrico ou clínico;
  • Aceitar a idade, com suas dificuldades, é fundamental para ter qualidade de vida;
  • A convivência com a família é importante. Entre em equilíbrio na relação com eles;
  • Praticar exercícios é fundamental, evita fraturas e artroses, mas exige orientação. É preciso verificar a estrutura do corpo, a massa muscular, para ver o que ele comporta;
  • Comer direito e com as vitaminas certas é muito importante;
  • Idosos que se cuidam têm sono melhor, são mais felizes e dispostos.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385 ! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

Confita aqui a entrevista na íntegra

 

Você dorme bem ou ‘acha’ que dorme? Descubra!

Você sabia que uma noite mal dormida precisa de outras três para recuperar? E não existe recuperação total, o saldo fica sempre negativo e os resultados disso para a saúde são inúmeros. O alerta é do diretor técnico da Anjos do Lar, dr. Carton Murilo Lopes.

O médico fez uma participação especial nesta terça (30) no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde frisou que não dá para negociar com o corpo. “Necessidade fisiológica você não segura, nem adianta fazer fiado com a saúde”, avisou, ressaltando que o corpo cobra a conta pela falta de sono.

De acordo com o médico, dormir mal virou rotina para os brasileiros, mas isso acontece por falta de informação. Todo mundo fala de insônia, mas um dos prejuízos da falta de sono que muitos desconhecem é a relação com a obesidade. Sim, dormir mal engorda!

O dr. Carton explica que há uma troca de boa parte dos nossos hormônios durante o sono. Se o sono é inadequado, essa troca não existe, o que prejudica muitos aspectos da saúde, incluindo a capacidade de emagrecer normalmente. Também costumamos comer mais quando não estamos dormindo, inclua-se aí café, doces e energéticos. Aliás, o médico lembra que a má alimentação também interfere na qualidade do sono. Comer em excesso, muito produto industrializado ou tarde da noite é extremamente ruim.

Então vamos entender de uma vez por todas o que devemos e o que não devemos fazer para ter qualidade de vida e de sono? Vamos lá!

Como eu sei que estou com problemas de sono?

  • Acorda cansado ou passa o dia cansado;
  • Sua em excesso enquanto dorme;
  • Tem apneia – não respira por alguns momentos enquanto dorme;
  • Ronca muito e baba em excesso;
  • Tem dificuldade para perder peso;
  • Não tem muito sono, dorme pouco (menos de 8h) sem necessidade;
  • Perdeu a libido;
  • Tem mau humor e irritabilidade constantes;
  • Está com dificuldade no aprendizado;
  • Está com dificuldade para se concentrar;
  • Tem baixa capacidade de memorização;
  • Dorme pesado na primeira hora e tem sono leve depois.

Dicas para melhorar a qualidade do meu sono:

  • Durma 8h, todos os dias;
  • Mantenha o quarto escuro;
  • Não ligue a TV;
  • Não use celular;
  • Tem insônia? Use técnicas de relaxamento. Barulho de chuva desvia a atenção, é um caminho para estimular o sono e a produção de melatonina (hormônio do sono produzido à noite);
  • Alimente-se bem (leve e mais cedo);
  • Controle a ansiedade;
  • Não trabalhe à noite, se não precisa;
  • Tenha um bom colchão;
  • Durma preferencialmente de lado (de barriga pra cima nem sempre é bom, principalmente para quem está acima do peso);
  • Use um travesseiro que ocupe o espaço entre o pescoço e o ombro.

Mitos:

  • Gravidez por si só não afeta o sono negativamente. Se você está grávida e dorme mal, verifique se está dormindo na posição correta, se tem um colchão e travesseiro adequados e se está tudo certo com o pré-natal;
  • Dieta sem carboidrato não afeta o sono se for resultado de um processo orientado por algum profissional;
  • Sonambulismo não é brincadeira, é doença! Trata-se de uma alteração patológica que deve ser avaliada e tratada;
  • Remédio para dormir pode, sim, ajudar na qualidade do sono, mas só deve ser usado com orientação médica.

Recomendações gerais para ter bom sono e ótima saúde:

1 – Calcule quantas horas de sono tem. Despertou de madrugada? Contabilize! Você precisa de 8h;

2 – Tente ter alimentação mais adequada. Descasque mais e desembrulhe menos. Consuma menos cafeína e industrializados. Invista em alimentos mais naturais, sem manipulação humana. Exemplo: chupe uma laranja, mas não tome suco de caixa;

3 – Faça 150 minutos de atividade física por semana. Meia hora por dia de caminhada está ótimo!

4 – Observe se sua respiração está boa, se acorda suado ou com muita sede. Desvio de septo e problema hormonal prejudicam o sono;

5 – Verifique se sua mordida é adequada, se tem dentição perfeita e mastigação correta. Dentes ruins podem afetar o sono e a saúde;

6 – Mantenha suas consultas de rotina em dia. Para todo problema de saúde há uma solução, procure um médico a qualquer sinal de problema;

7 – Dormir mal pode desencadear o Distúrbio do Sono. Neste caso, existem exames específicos que podem diagnosticar a doença. Como a polissonografia, exame que registra as ondas cerebrais, o nível de oxigênio no sangue, frequência cardíaca e respiratória, assim como os movimentos dos olhos e nas pernas durante o estudo. Consulte um médico e verifique se precisa deste exame ou basta promover uma mudança de hábitos.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385 ! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

Confira a entrevista na íntegra neste link