Posts

Brasileiras desconsideram sintomas dos distúrbios da tireoide

 

Quando a tireoide trabalha demais (hipertireoidismo) ou de menos (hipotireoidismo), provoca uma confusão no organismo. O problema é que nem todo mundo sabe que os hormônios produzidos por essa glândula determinam o ritmo de diversos processos que ocorrem no corpo, como mostra um estudo realizado este ano pela Censuswide a pedido da Merck, uma empresa farmacêutica alemã.

Isso porque, após a análise de 6.171 questionários respondidos por mulheres de sete países (Arábia Saudita, Brasil, Chile, França, Indonésia, Itália e México), os pesquisadores observaram que 49% das voluntárias não associavam, por exemplo, insônia e sonolência ao funcionamento da tireoide. Para elas, esses desgastes eram resultado da correria do dia a dia.

A tireoide das brasileiras

Os números registrados por aqui merecem atenção especial. Embora a maioria das 1.003 entrevistadas do nosso país tenha associado disfunções na tireoide a sintomas mais clássicos — como alterações de peso (81%), cansaço excessivo (67%) e ansiedade (57%) — outras consequências foram deixadas de lado. A falta de concentração só foi ligada a encrencas nessa glândula por 35% das brasileiras e a dificuldade para se sentir motivado, por 43%.

Para piorar, mudanças repentinas na menstruação, insônia, dificuldade para engravidar, se concentrar ou evacuar e perda progressiva da audição foram citadas como “problemas do cotidiano com os quais devemos conviver” por 22%, 20, 30%, 22%, 18%, 27% das participantes, respectivamente.

“Esse tipo de distúrbio é de cinco a 10 vezes mais comum entre as mulheres”, estima Laura Ward, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), de São Paulo. “Acredita-se que essa prevalência tenha origem genética ou hormonal. No entanto, ainda é cedo para eleger uma causa”, completa.

Mesmo que os sintomas do hiper e do hipotireoidismo também possam ser ocasionados por estresse ou outros fatores, negligenciar a possível relação com uma doença é perigoso. Ao notar sinais suspeitos (elencamos alguns abaixo), vale a pena investigar sua origem, principalmente se eles forem persistentes. Há tratamentos que podem controlar o problema e, assim, devolver a qualidade de vida de seus portadores.

Sintomas de hipotireoidismo

  • Fadiga
  • Constipação
  • Ganho inexplicável de peso
  • Sensibilidade exagerada ao frio
  • Inchaço no rosto
  • Pele ressecada
  • Fraqueza, dor, sensibilidade ou rigidez muscular
  • Esquecimentos ou dificuldade de se concentrar
  • Desânimo
  • Alterações no ciclo menstrual

Sintomas de hipertireoidismo

  • Insônia
  • Diarreia
  • Perda inexplicável de peso
  • Suor excessivo
  • Ruborização da pele
  • Olhos saltados
  • Taquicardia (mais de 100 batimentos por minuto)
  • Ansiedade, irritabilidade ou nervosismo
  • Hiperatividade
  • Alterações no ciclo menstrual

Fonte: Revista Saúde

→ Confira outra matéria sobre o tema com o dr. Carton Murilo Lopes.

Tireoide equilibrada, organismo regulado

 

O diretor técnico da Anjos do Lar, Carton Murilo Lopes, esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou com os ouvintes sobre as doenças da tireoide, glândula em formato semelhante ao de uma borboleta que fica localizada na região do pescoço e tem a função de regular o organismo. O tema é de extrema importância por que os hormônios produzidos pela tireoide (T3 e T4) regulam desde as mínimas funções cerebrais até aquelas relacionadas ao intestino e aparelho genital.

Doutor Carton explica que este órgão importante do corpo humano envolve vários problemas e doenças autoimunes, mas dois são mais comuns: problemas de função e nódulos. Ambos podem ser diagnosticados com exames laboratoriais e em alguns casos é necessário um ultrassom ou outro exame complementar. O exame clínico com um profissional habilitado também é fundamental!

As mulheres são mais acometidas pelas doenças de tireoide, mas a menopausa não tem nenhuma ligação com elas. Os homens também são afetados, numa proporção de 1 para 5 mulheres.

Problemas de função

Os problemas de função ocorrem quando a glândula está lenta ou muito rápida, produzindo muito ou pouco hormônio. Esse desiquilíbrio causa hipotireoidismo, no caso de pouca produção, ou hipertireoidismo, no caso de muita produção.

O tratamento, nestes casos, é com medicação. No caso do hipotireoidismo, é preciso repor o hormônio não produzido para regularizar o dia a dia do organismo. No caso do hipertireoidismo é preciso medicar para frear o hormônio.

Importante salientar que a dosagem e o tipo de medicação para regular essa disfunção hormonal mudam caso a caso, conforme o estágio da doença e a idade do paciente. Portanto, não pode se automedicar, combinado?!

Quais são os sintomas do hipotireoidismo?

  • Sono;
  • Preguiça;
  • Cansaço;
  • Queda de cabelo;
  • Pele seca;
  • Unha fraca;
  • Intestino preguiçoso.

Quais são os sintomas do hipertireoidismo?

  • Emagrecimento;
  • Coração acelerado;
  • Suor excessivo;
  • Diarreia.

Como prevenir?

  • Com hábitos de vida saudáveis que aumentem a imunidade:
  • 8h de sono por dia;
  • Alimentação regular sem muito industrializado ou agrotóxico;
  • 150 minutos de atividades física por semana.

Nódulos

Quando o exame clínico identifica nódulos (caroços) na tireoide é importante certificar-se de que são benignos e monitorá-los. A maioria deles é benigno. Importante salientar que nódulo não é câncer ou tumor!

Um ultrassom pode dar essa resposta, na maioria das vezes, mas se preciso são solicitados outros exames e, em último caso, é feita uma biópsia.

Se o nódulo está se comportando bem, basta acompanhar essa evolução. Caso ele evolua, com suspeita de malignidade, talvez seja necessário retirá-lo com cirurgia. A partir de então, basta tomar medicação para repor os hormônios, já que a ‘fábrica’ não existe mais.

Importante salientar que essa avaliação deve ser feita por médico habilitado e os exames devem ser feitos em laboratório confiável para evitar a evolução da doença, já que os exames de tireoide são tão específicos.

Recomendações importantes!

  • Mantenha hábitos de vida saudáveis;
  • Não se automedique jamais;
  • Faça checkup com exames de perfil hormonal anualmente;
  • Busque avaliação de profissional desta área;
  • Não pesquise na internet, fale com um médico!

Mais perguntas

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz algumas participações especiais para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

Fibromialgia tem tratamento

A reumatologista da Anjos do Lar, Kathleen Daniotti, esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou com os ouvintes sobre fibromialgia, síndrome reumática crônica e inflamatória que pode acometer todo o sistema muscular esquelético, causando dores agudas pelo corpo. Mas apesar de altamente incapacitante, a doença tem caráter benigno e pode ser tratada.

De acordo com as pesquisas, as mulheres sofrem mais com a fibromialgia, numa proporção de 3 para cada homem. A faixa etária mais comum é entre 30 e 50 anos, com pico aos 40, mas atenção: idosos e crianças também podem ser acometidos! A doutora Kathleen explica que trata-se da doença da mulher moderna, que tem tripla jornada e nem sempre se cuida como deveria.

Como identificar a doença?

É difícil, pois envolve muitos fatores, se confunde com outras doenças, muda os sintomas de uma pessoa para outra e não há exames laboratoriais ou de imagem específicos para detectá-la – o diagnóstico é essencialmente clínico. Sendo assim, é preciso procurar um bom reumatologista para que sejam feitos alguns exames físicos e uma anamnese muito específica. Mas existem, sim, sintomas que podem acender a luz amarela, confira:

  • Fadiga e fraqueza generalizada;
  • Dor abdominal inespecífica, difusa;
  • Síndrome do intestino irritado;
  • Cefaleia (diurna e noturna);
  • Fator genético ou hormonal;
  • Depressão;
  • Sono não reparador, com despertar noturno.

A fibromialgia é conhecida por ser uma doença em que o paciente sente muitas dores no corpo, tem mais sensibilidade. E a dor da fibromialgia pode estar localizada na parte inferior do corpo, do lado direito ou esquerdo, mas não é uma dor localizada, pontual. Mas a doença não traz apenas dor. A depressão pode vir de mãos dadas com a fibromialgia, por isso é essencial estar atento ao estigma das pessoas poliqueixosas – que se queixam de dor o tempo todo –, especialmente quando isso vem associado a tristeza profunda. Quem tem essa doença e não sabe tende a reclamar o tempo todo ou sofrer calada. Fique atento!

Importante entender também que nem toda dor é fibromialgia. Outras doenças têm sintomas parecidos, mas tratamentos diferentes, e não precisam necessariamente ter relação. Exemplo: artrite, tendinite ou artrose.

E qual é o tratamento da fibromialgia?

A base do tratamento é o exercício físico aeróbico. Dança, caminhada, natação. Existe tratamento medicamentoso também, mas ele imita o resultado/benefício do exercício físico. Já está comprovado pela ciência que quanto mais exercícios o paciente de fibromialgia faz, melhores os benefícios e mais amena a dor. Mas antes de sair correndo e nadando, certifique-se do diagnóstico correto com um reumatologista, faça o tratamento recomendado e depois, sim, viva sua vida na plenitude.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

 

Mude alguns hábitos e fuja das infecções

Você sabia que mais de 1 milhão de pessoas morre todos os anos em decorrência de infecções hospitalares? No Brasil, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, as infecções hospitalares atingem mais de 10% dos pacientes internados, por isso a Anjos do Lar atua fortemente na desospitalização de pacientes que já podem ser tratados em casa ou em ambulatório especializado.

Mas as infecções não ocorrem apenas nos hospitais, nossa casa também oferece muitos perigos, por isso é preciso se prevenir. Uma infecção bacteriana, por exemplo, pode ser leve ou grave, podendo até ser fatal. Elas podem afetar a pele, o sangue, um órgão específico ou o trato gastrointestinal.

Para complicar mais, o número de pessoas que tem resistência a antibióticos aumenta ano após ano. Sendo assim, se você achar que pode estar infectado, procure um médico urgente! A boa notícia é que com algumas estratégias simples e com uma pequena mudança de hábitos é possível diminuir as chances de pegar uma infecção bacteriana. Saiba como:

Lave as mãos com frequência. Lavar as mãos é um passo essencial para evitar o contágio. Não deixe de fazer isso depois de espirrar ou tossir e também várias vezes ao dia. Outros momentos em que se deve lavar as mãos são:

  • Antes e depois de preparar alimentos;
  • Antes e depois de cuidar de alguém doente;
  • Antes e depois de tratar uma ferida na pele;
  • Depois de usar o banheiro ou de trocar fraldas;
  • Depois de encostar no lixo;
  • Depois de tocar, alimentar ou recolher as necessidades de um animal de estimação.

Use uma boa técnica para lavar as mãos. A técnica certa ajuda a potencializar a higienização. Use um sabonete antibacteriano a água morna. Molhe as mãos e ensaboe-as, esfregando uma na outra por pelo menos 20 segundos. Faça fricção para eliminar as bactérias presentes na pele. Não se esqueça de limpar a parte de baixo das unhas e a região entre os dedos. Em seguida, enxágue o sabão com água morna e seque bem as mãos com uma toalha limpa.

Limpe objetos muito usados na sua casa e no local de trabalho. Você pode diminuir o número de bactérias no ambiente mantendo certos objetos limpos.

Evite aproximação com pessoas doentes. É impossível saber quando alguém tem só um resfriadinho comum ou algo mais sério. Por isso, é melhor evitar a proximidade de qualquer forma.

Aprenda mais sobre bactérias intestinais perigosas. Há várias bactérias que podem proliferar no trato gastrointestinal e causar infecções de graus variados.

Informe-se a respeito do recolhimento de produtos alimentícios e de água. Algumas vezes os alimentos e a água podem ficar contaminados em determinadas regiões, portanto é importante informar-se para evitar o consumo deles.

Mantenha as mãos limpas ao preparar alimentos. Lavar as mãos é um passo importante na prevenção de infecções bacterianas dentro e fora da cozinha. Você sempre deve fazer isso antes e depois de lidar com a comida, principalmente depois de usar o banheiro ou trocar fraldas se você for começar a cozinhar em seguida.

Lave e cozinhe bem os alimentos. Essa medida também pode evitar que bactérias prejudiciais entrem no seu organismo. Lave todas as frutas e legumes antes de consumi-las e cozinhe bem os produtos de origem animal para se poupar de problemas com bactérias. Evite comer carnes cruas ou malpassadas e ovos com gema mole ou crus.

Cuidado com o botulismo. Não consuma nenhum alimento com um cheiro desagradável ou cuja lata esteja estufada. Esses são sinais de botulismo, uma doença causada por uma bactéria extremamente perigosa que pode até ser fatal se ingerida.

Não existe vida sem água, hidrate-se

 

Que o nosso corpo é praticamente composto por água você já sabe, certo? Mas você sabia que ela atua nos nossos processos fisiológicos, estando relacionada com praticamente todas as reações do nosso corpo?

A água é fundamental para o transporte de substâncias, como o oxigênio, nutrientes e sais minerais, pois faz parte da composição do plasma sanguíneo. Além de levar nutrientes para as células, ela proporciona a eliminação de substâncias para fora do corpo. Esse é o caso da urina, que é formada basicamente por água e substâncias tóxicas ou em excesso dissolvidas.

Ela também regula a temperatura do corpo. Quando o calor torna-se exagerado, inicia-se a liberação de suor, que possui água em sua composição. Ao entrar em contato com o meio, o suor evapora na superfície da pele, causando o resfriamento do corpo.

A água também forma as lágrimas, líquido essencial para o funcionamento adequado dos olhos. As lágrimas evitam o ressecamento das córneas e fazem a limpeza dessas estruturas.

Não podemos esquecer da proteção garantida pela água. As membranas que envolvem o sistema nervoso (meninges), por exemplo, são lubrificadas pelo liquor, substância rica em água que fornece proteção mecânica a esse sistema. Os fluidos das articulações também possuem água e protegem os ossos do atrito. Além disso, o líquido amniótico protege o feto de impactos durante o desenvolvimento da vida.

Diante de tantas funções, é fundamental que fiquemos hidratados. Recomenda-se a ingestão de pelo menos dois litros e meio de água diariamente para que nosso organismo funcione adequadamente. Além da ingestão, essa substância também pode ser retirada de todos os alimentos.

Vale destacar que a quantidade de água a ser ingerida por uma pessoa está relacionada também com as atividades que ela realiza e com o seu estado de saúde. Além disso, o clima também influencia. Em dias quentes, por exemplo, devemos beber mais água, o que também é válido para pessoas que realizam atividades físicas.

Alguns sintomas podem ser observados quando nosso corpo fica sem água. Inicialmente, sentimos sede, boca seca, lábios rachados e urina mais escura. A urina é um dos mais evidentes sintomas, sendo essencial que ela esteja bem clara.

Nosso organismo consegue ficar muito tempo sem nenhum alimento, mas não sem água. Pesquisas comprovam que, de três a cinco dias, uma pessoa pode morrer caso não tenha acesso a essa substância. Sendo assim, lembre-se sempre de se hidratar, dando atenção especial aos dias quentes e à prática de atividades físicas pesadas.

Confira algumas curiosidades sobre a água:

  1. O corpo humano de um adulto possui até 65% de água em sua composição. Em um recém-nascido o número é ainda maior: 78%;
  2. O planeta Terra também é conhecido como o Planeta Água. A justificativa para o nome deve-se ao fato de que 70,9% de sua superfície é coberta por água;
  3. Apenas 3% da água do mundo é doce. Deste total, 70% está na forma de gelo ou no solo;
  4. 12% da água doce do mundo está no Brasil. O país é privilegiado por seus aquíferos, que armazenam a água no solo;
  5. O Aquífero Guarani é o maior do mundo. Ele se estende por uma área média de 1,2 milhão de km2 e reserva, aproximadamente, 45 mil quilômetros cúbicos de água;
  6. Existe mais água na atmosfera do que em todos os rios do mundo juntos;
  7. De acordo com a ONU, existem 783 milhões de pessoas no mundo que vivem sem água potável. Em 2025 esse número pode chegar a 1,8 bilhão;
  8. Na América Latina são 36 milhões de pessoas sem acesso à água de boa qualidade;
  9. Enquanto nos EUA as pessoas gastam, em média, 370 litros de água por dia, os africanos usam de sete a dezenove litros;
  10. Por não terem acesso à estrutura de saneamento básico, mulheres e crianças na África Subsaariana perdem até seis horas do dia caminhando longas distâncias para encher baldes de água. Em apenas um dia, a soma dessas viagens cobriria a distância de ida e volta à Lua;
  11. Em média, 2/3 da água do mundo é usada para a produção de alimentos, em especial à agricultura e pecuária.
  12. Nos EUA, 26% da água usada nas residências é gasta apenas em descargas;
  13. Uma torneira que goteja a cada segundo pode vazar três mil litros em um ano;
  14. Em São Paulo, os vazamentos nas redes de distribuição geram desperdício de 980 bilhões de litros de água por ano, em média, 30% da água tratada no município. Em Nova York são perdidos 13 trilhões;
  15. Para fazer uma calça jeans são necessários, aproximadamente, 10 mil litros de água;
  16. Para produzir um quilo de manteiga são necessários 18 mil litros de água e para um quilo de carne gasta-se 15.400 litros;
  17. Um banho de 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 135 litros de água. Uma mangueira aberta pelo mesmo tempo pode desperdiçar até 280 litros.

 

O Outono já chegou

O Verão se despede às 13h15 desta terça-feira (20/3) e chega o Outono, período que traz queda no termômetro e maior risco de contrair as doenças da estação. As oscilações de temperatura tornam o organismo – especialmente das crianças – mais propenso a desenvolver as fatídicas ‘ites’: sinusites, faringites, amigdalites e laringites. Elas são parecidas, mas cada uma exige tratamentos e períodos de cura diferentes. Saiba como se prevenir e se precisar de uma consulta ou medicação, vem pra Anjos do Lar:

Amigdalite: tonsilas palatinas infeccionadas

O frio contribui com a redução do sistema de defesa do organismo, deixando as tonsilas palatinas (mais conhecidas como amígdalas) abertas aos micro-organismos. Quando as bactérias encontram terreno para se desenvolver, surge a amigdalite.
Os sintomas mais comuns são febre alta, mal-estar e dor no corpo, além de dificuldade e dor ao engolir – sintoma mais característico da condição. O tratamento envolve medicamentos anti-inflamatórios, antibióticos e anti-térmicos, quando necessário.

Faringite: sensação de coceira na garganta

Quando infeccionada, a faringe gera sintomas de dor na parede posterior da garganta – facilmente confundida com a amigdalite, diferenciada pela sensação de coceira na garganta. Os outros sintomas incluem ainda febre, dor no corpo e indisposição.
A faringe, conduto muscular que conecta a boca à laringe e esôfago, pode ser infeccionada a partir de vírus ou bactérias, embora a infecção viral seja a mais comum.
O tratamento é medicamentoso, e varia conforme a origem. Se for bacteriana, antibióticos. Para reduzir os sintomas, anti-inflamatórios e até mesmo antialérgicos podem ser recomendados, visto que algumas inflamações podem desencadear quadros alérgicos.

Laringite: inflamação das cordas vocais

A inflamação ou inchaço das cordas vocais dá origem à laringite. O sintoma mais conhecido dessa condição é a perda da voz ou a rouquidão. Essa inflamação é gerada por uma infecção que pode ser viral ou bacteriana – a diferença está na formação das placas, caso seja de origem bacteriana.
Para tratar, são necessários diferentes medicamentos: antibióticos se a causa for bactérias; anti-inflamatórios se for viral. Independentemente da origem, analgésicos para reduzir a dor e repouso vocal para a recuperação mais rápida da voz.

Sinusite: dor no rosto

Ao contrário das outras infecções, a sinusite afeta a região dos seios da face, na região próxima ao nariz. No início, é fácil confundir os sintomas com uma crise de rinite alérgica, pois ambas deixam o nariz trancado, com coriza, secreção e dor.
Anti-inflamatórios e, em alguns casos, antialérgicos compõem o tratamento. Há ainda indicação de spray para o nariz a base de soro, corticoides e, no caso de infecção bacteriana, o uso de antibióticos.

Cuide bem da sua maior riqueza

As crianças são seres em desenvolvimento, o que exige muita atenção, carinho e cuidados especiais. Sem contar que os pequenos são nossa maior riqueza, concorda? A Anjos do Lar trata a questão da saúde na infância com muito profissionalismo, oferecendo um atendimento completo, diferenciado e humanizado. A ideia é estar disponível para ajudar em todas as etapas desta linda fase, criando uma relação de confiança com os papais e lembrando, sempre, que a saúde é ampla e nem sempre tem relação com doenças físicas.

O pediatra da Anjos do Lar, dr. Sthevan Bernardon Mar, esteve no programa A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou um pouco sobre os cuidados com os bebês e as crianças, suas paixões. Para o médico, não há nada mais prazeroso que ver uma criança se desenvolvendo com saúde e alegria. A primeira dica do doutor foi com relação ao choro dos pequenos, motivo de muitas consultas ao Ambulatório da Anjos do Lar. Confira!

Por que os bebês choram tanto?

  • Fome;
  • Dificuldade para mamar por lesão na mama da mãe;
  • Calor ou frio;
  • Sujeira na fralda;
  • Lesão na pele (assadura);
  • Cólica;
  • Estresse (oriundo da mãe);
  • Outros fatores.

O choro dos pequenos traz muita angústia para os pais, mas é comum bebês chorarem bastante. O médico explica que eles se expressam pelo choro, uma vez que não falam ainda. O importante nesta hora é ficar tranquilo, pois a criança chora ainda mais quando os pais ficam estressados. Outra recomendação é manter o acompanhamento médico para avaliar o estado de saúde do bebê constantemente, pois sempre pode haver algum outro fator causando o choro. A primeira consulta deve ser feita até 7 dias do nascimento.

Outro grande motivo de preocupação dos pais é com a icterícia. Síndrome que ocorre em recém-nascidos, pode ser fisiológica ou decorrente de patologia, que leva ao aumento da bilirrubina indireta na corrente sanguínea, deixando a pele amarelada. Para preveni-la é importante que o bebê tome banho de sol, uma vez eu os raios ultravioletas possibilitam a absorção da Vitamina D.

Dicas para o banho de sol do bebê:

  • Em torno de 5 minutos apenas;
  • Só de fralda ou com a fraldinha aberta;
  • Horário correto: até 10h ou depois da 16h.;
  • Evitar horário de vento (pode esfriar).
  • A mamãe também deve tomar sol na mama (passar leite materno no lugar de protetor solar).

A qualidade do sono dos pequenos também merece atenção dos pais e profissionais de saúde. Dr. Sthevan conta que há vários cuidados a serem tomados para garantir um soninho reparador e qualidade de vida para os pais. Confira quais são:

  • O berço deve ficar encostado na cama dos pais, mas nunca se deve colocar o bebê para dormir na cama para evita a síndrome de morte súbita do lactente. Colocar o bebê numa posição inadequada pode oferecer risco de morte enquanto ele dorme;
  • Importante colocar o bebê de barriga para cima;
  • As crianças devem ficar no berço até 1 ano ou 1 ano e meio. Nesta fase já crie um ambiente no quarto para ele se familiarizar, com brinquedos e luz baixa. Nunca luz totalmente ligada. Ele tem que entender o que é dia ou noite;
  • Colocar o bebê ou a criança para dormir na cama é uma forma de afeto, mas não é bom, pois cria vínculo afetivo e fia difícil separá-lo da mãe depois.

O que meu filho deve comer?

Assim como nós, os bebês precisam de boa alimentação para se desenvolverem bem e saudáveis. A alimentação ideal para um bebê até os 6 meses é somente leite materno. Sem chá, água ou nada mais. Só é preciso introduzir outros alimentos se a crianças estiver perdendo peso ou a mãe não puder amamentar. Neste caso, contudo, é preciso procurar um profissional para definir uma fórmula adequada para esta criança.

Após os seis meses, vem uma daquelas consultas fundamentais com o pediatra, quando começamos a introduzir frutas e uma alimentação principal, normalmente no almoço.

DICA DE OURO: Nunca bata os alimentos no liquidificador, amasse-os. A criança precisa entender a consistência dos alimentos.

Chegaram os dentes, e agora?

Alguns pais ficam preocupados quando surge um pico de febre junto com a chegada dos dentinhos. Eles podem ocorrer, com o nascimento dos incisivos inferiores ou superiores, que normalmente vêm primeiro. Para evitar febre, dor ou excesso de coceira, lembre-se: nasceu o primeiro dente, precisa começar a escovar. Aliás, antes mesmo é possível higienizar com gaze.

Nesta fase, tudo vai para a boca. Portanto, invista em brinquedos adequado para morder, que não tragam risco de machucar ou aspirar. Atenção para os cuidados com o tamanho e material.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

Envelhecer bem é possível

O envelhecimento é um processo natural para todos, mas é preciso acompanhá-lo com atenção e respeito. No que diz respeito à saúde, o profissional responsável por esse acompanhamento é o geriatra. A dra. Thaís Barreto Teixeira, geriatra da Anjos do Lar, esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou sobre os cuidados que devemos ter com nossos pais, avós e consigo mesmos, para garantir uma vida mais saudável e longínqua.

De acordo com a médica, o ideal é começar o acompanhamento com um geriatra aos 60 anos, mas muitos pacientes começam aos 35, 40 ou 50 para atuar de forma preventiva. Mas independentemente da idade, cada indivíduo tem suas particularidades, por isso é fundamental conhecer o histórico de cada um para ter um diagnóstico assertivo, motivo pelo qual é preciso procurar um profissional sempre que surgirem alguns sintomas. Saiba quais são eles:

Porque preciso de um geriatra:

  • Já tenho 60 anos ou mais;
  • Sinto muita sonolência durante o dia;
  • Tenho insônia;
  • Percebi perda de apetite;
  • Estou meio apático ou sem disposição;
  • Às vezes sinto um pouco de desorientação espacial;
  • Sintomas de perda de memória ou capacidade de concentração;
  • Tomo muitos medicamentos;
  • Fico triste com frequência;
  • Os problemas familiares me afetam muito.

Problemas comuns nos idosos que exigem cuidado:

  • Desnutrição;
  • Depressão, hipersensibilidade;
  • Solidão;
  • Desidratação;
  • Anemia e falta de algumas vitaminas;
  • Fraturas, artrites e artroses;
  • Déficit cognitivo;
  • Síndromes demenciais;
  • Metabolismo lento;
  • Distúrbios do sono.

A dra. Thaís explica que muitos sintomas são comuns da idade, mas devem ser monitorados e tratados para que sejam minimizados, garantindo mais qualidade de vida ao idoso e evitando doenças. “Quando envelhecemos, nosso corpo fica mais lento, por dentro e por fora. Nossos órgãos funcionam em outro ritmo, por isso redobra a atenção”, explica.

Ela reforça que nestes casos é preciso trabalhar a prevenção, o que começa por procurar um médico. Para esta primeira consulta, a doutora passa algumas recomendações:

  • Ter um familiar presente para acompanhar o tratamento;
  • Levar os exames mais recentes;
  • Levar a Carteirinha de Vacinação do Idoso;
  • Levar os medicamentos que está administrando;

Algumas recomendações importantes:

  • Tomar muito cuidado com a polifarmácia – interações medicamentosas (quando tomamos mais de 5 remédios diferentes). Às vezes dá para otimizar e reduzir o número de medicamentos administrados;
  • Organizar bem os horários com tabelinhas ou caixinhas, para não se perder na administração;
  • Reduzir a soneca da tarde. Idosos dormem menos, mas precisam ter sono restaurador à noite;
  • Cuidar com os medicamentos para dormir que causam dependência, como Rivotril. Se você toma, precisa desmamar gradativamente, não pare sozinho, mas procure saber se não pode substituir por algum menos agressivo. O Índice de quedas e fraturas é alto em quem toma estes medicamentos;
  • Dormir demais pode ser depressão. Procure orientação, pode ser necessário um acompanhamento psicológico, psiquiátrico ou clínico;
  • Aceitar a idade, com suas dificuldades, é fundamental para ter qualidade de vida;
  • A convivência com a família é importante. Entre em equilíbrio na relação com eles;
  • Praticar exercícios é fundamental, evita fraturas e artroses, mas exige orientação. É preciso verificar a estrutura do corpo, a massa muscular, para ver o que ele comporta;
  • Comer direito e com as vitaminas certas é muito importante;
  • Idosos que se cuidam têm sono melhor, são mais felizes e dispostos.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385 ! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

Confita aqui a entrevista na íntegra

 

Você dorme bem ou ‘acha’ que dorme? Descubra!

Você sabia que uma noite mal dormida precisa de outras três para recuperar? E não existe recuperação total, o saldo fica sempre negativo e os resultados disso para a saúde são inúmeros. O alerta é do diretor técnico da Anjos do Lar, dr. Carton Murilo Lopes.

O médico fez uma participação especial nesta terça (30) no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde frisou que não dá para negociar com o corpo. “Necessidade fisiológica você não segura, nem adianta fazer fiado com a saúde”, avisou, ressaltando que o corpo cobra a conta pela falta de sono.

De acordo com o médico, dormir mal virou rotina para os brasileiros, mas isso acontece por falta de informação. Todo mundo fala de insônia, mas um dos prejuízos da falta de sono que muitos desconhecem é a relação com a obesidade. Sim, dormir mal engorda!

O dr. Carton explica que há uma troca de boa parte dos nossos hormônios durante o sono. Se o sono é inadequado, essa troca não existe, o que prejudica muitos aspectos da saúde, incluindo a capacidade de emagrecer normalmente. Também costumamos comer mais quando não estamos dormindo, inclua-se aí café, doces e energéticos. Aliás, o médico lembra que a má alimentação também interfere na qualidade do sono. Comer em excesso, muito produto industrializado ou tarde da noite é extremamente ruim.

Então vamos entender de uma vez por todas o que devemos e o que não devemos fazer para ter qualidade de vida e de sono? Vamos lá!

Como eu sei que estou com problemas de sono?

  • Acorda cansado ou passa o dia cansado;
  • Sua em excesso enquanto dorme;
  • Tem apneia – não respira por alguns momentos enquanto dorme;
  • Ronca muito e baba em excesso;
  • Tem dificuldade para perder peso;
  • Não tem muito sono, dorme pouco (menos de 8h) sem necessidade;
  • Perdeu a libido;
  • Tem mau humor e irritabilidade constantes;
  • Está com dificuldade no aprendizado;
  • Está com dificuldade para se concentrar;
  • Tem baixa capacidade de memorização;
  • Dorme pesado na primeira hora e tem sono leve depois.

Dicas para melhorar a qualidade do meu sono:

  • Durma 8h, todos os dias;
  • Mantenha o quarto escuro;
  • Não ligue a TV;
  • Não use celular;
  • Tem insônia? Use técnicas de relaxamento. Barulho de chuva desvia a atenção, é um caminho para estimular o sono e a produção de melatonina (hormônio do sono produzido à noite);
  • Alimente-se bem (leve e mais cedo);
  • Controle a ansiedade;
  • Não trabalhe à noite, se não precisa;
  • Tenha um bom colchão;
  • Durma preferencialmente de lado (de barriga pra cima nem sempre é bom, principalmente para quem está acima do peso);
  • Use um travesseiro que ocupe o espaço entre o pescoço e o ombro.

Mitos:

  • Gravidez por si só não afeta o sono negativamente. Se você está grávida e dorme mal, verifique se está dormindo na posição correta, se tem um colchão e travesseiro adequados e se está tudo certo com o pré-natal;
  • Dieta sem carboidrato não afeta o sono se for resultado de um processo orientado por algum profissional;
  • Sonambulismo não é brincadeira, é doença! Trata-se de uma alteração patológica que deve ser avaliada e tratada;
  • Remédio para dormir pode, sim, ajudar na qualidade do sono, mas só deve ser usado com orientação médica.

Recomendações gerais para ter bom sono e ótima saúde:

1 – Calcule quantas horas de sono tem. Despertou de madrugada? Contabilize! Você precisa de 8h;

2 – Tente ter alimentação mais adequada. Descasque mais e desembrulhe menos. Consuma menos cafeína e industrializados. Invista em alimentos mais naturais, sem manipulação humana. Exemplo: chupe uma laranja, mas não tome suco de caixa;

3 – Faça 150 minutos de atividade física por semana. Meia hora por dia de caminhada está ótimo!

4 – Observe se sua respiração está boa, se acorda suado ou com muita sede. Desvio de septo e problema hormonal prejudicam o sono;

5 – Verifique se sua mordida é adequada, se tem dentição perfeita e mastigação correta. Dentes ruins podem afetar o sono e a saúde;

6 – Mantenha suas consultas de rotina em dia. Para todo problema de saúde há uma solução, procure um médico a qualquer sinal de problema;

7 – Dormir mal pode desencadear o Distúrbio do Sono. Neste caso, existem exames específicos que podem diagnosticar a doença. Como a polissonografia, exame que registra as ondas cerebrais, o nível de oxigênio no sangue, frequência cardíaca e respiratória, assim como os movimentos dos olhos e nas pernas durante o estudo. Consulte um médico e verifique se precisa deste exame ou basta promover uma mudança de hábitos.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385 ! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

Confira a entrevista na íntegra neste link

Crianças exigem cuidados especiais no Verão

O calor se intensificou nos últimos dias e promete continuar por muitas semanas. Quem mais sofre com ele são as crianças, portanto procure tomar cuidados extras com os pequenos neste período para evitar hospitais por conta da proliferação de doenças comuns no Verão.

Nesta época do ano, são corriqueiros os casos de diarreia, dor de cabeça, dor no corpo, vômito e mal-estar em geral, causados normalmente por intoxicação alimentar, desidratação, dengue e até hepatite A.

Para evitar o sofrimento dos pequenos e dos pais, siga algumas recomendações importantes e lembre-se: qualquer sinal de problema acione um pediatra! A Anjos do Lar dispõe dessa especialidade no quadro clínico. Basta agendar com nossa secretária no 3263-0469. Agora fique com nossas dicas e curta o Verão em família com segurança:

  • Micoses se proliferam em locais quentes e úmidos. Para prevenir, opte por chinelos e sandálias, principalmente em vestiários de parques aquáticos;
  • Na praia, opte por locais que tragam a bandeira de ‘própria para banho’;
  • A roupa deve ser apropriada nesta época. Quanto mais clara a cor, mais luz ela reflete e mais fresca se torna. Tecidos leves também são fundamentais;
  • As crianças sofrem mais com picadas de insetos, por isso use repelente em locais e horários propensos a pernilongos e outros insetos. Refil com veneno para dormir também é importante;
  • Evite expor excessivamente as crianças ao sol, principalmente no período entre 10h e 16h;
  • Aplique protetor solar nos pequenos pelo menos 15 minutos antes da exposição ao sol, repetindo a aplicação a cada duas horas;
  • Tomar cerca de dois litros de água por dia é fundamental;
  • Evite dar banhos longos com água muito quente;
  • Passar hidratante no corpo deles diariamente com a pele um pouco úmida é ótimo;
  • Dê preferência a alimentos leves, como frutas e saladas, e evite alimentos e carnes cruas, especialmente peixe. Dê uma pausa nos salgadinhos e não exagere no sorvete!