Posts

Anjos do Lar reúne clientes e parceiros para falar sobre o Mal de Alzheimer

A Anjos do Lar reuniu clientes, parceiros e convidados nesta quinta-feira (13/9), para falar sobre o Mal de Alzheimer, doença que ainda não tem cura mas acomete e mata milhares de pessoas no mundo. O motivo do encontro foi alertar sobre as formas de postergar o aparecimento dos sintomas com ações como a manutenção de uma rotina saudável e mente ativa.

A iniciativa e comando do bate-papo foi da franqueada de Balneário Camboriú do Método SUPERA, Vera Barichello, que está com várias ações de conscientização este mês. De acordo com Vera, pesquisas mostram que nosso cérebro começa a ter declínio cognitivo a partir dos 25 anos e não para mais. Exercitá-lo, portanto, é uma forma de manter as habilidades.

Para contribuir nesta tarefa, a rede de academia de ginástica para o cérebro lançou uma série de e-books para download gratuito. O objetivo é informar e conscientizar acerca dos cuidados que devemos ter com a saúde do cérebro desde sempre.

Os e-books abordam as diferentes formas de cuidar da saúde do cérebro e garantir qualidade de vida como um todo. Eles serão lançados em 4 partes, sendo um por semana, durante todo o mês de setembro. Baixe a primeira edição aqui! 

Tratamento

A iniciativa do Supera vai ao encontro da missão da Anjos do Lar, que é atuar na prevenção e tratamento das pessoas, seja na área da Neurologia ou outras. O Ambulatório de Especialidades da empresa oferece esta especialidade médica, seja para consultas ou atendimentos multidisciplinares relacionados ao tratamento deste e de outros males.

O evento contou também com o apoio do Armazém do Colono, que preparou um coffee break com as delícias naturais da loja que também atua no cuidado com a saúde.

 

Nutrição e ansiedade

Em 2017 a Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou que há mais de 18 milhões de brasileiros diagnosticados com ansiedade, o que coloca o Brasil como o país líder em casos desse transtorno no mundo. Não é à toa que quase 100% dos pacientes que eu atendo em consultórios apresentam algum grau de ansiedade.

Mas o que isso tem a ver com nutrição? Primeiro precisamos lembrar que somos seres complexos e que a nossa saúde é fruto de uma construção diária dependente de uma série de fatores. Dentre esses fatores, mais conhecidos como determinantes sociais da saúde, está a alimentação. Isso quer dizer que para termos saúde é imprescindível ter uma boa alimentação!

Como a alimentação influencia nos distúrbios de ansiedade? Nossas escolhas alimentares influenciarão diretamente em nossa saúde mental e isso se dá basicamente pelo excesso ou a falta de determinados alimentos.

O consumo de alimentos ultraprocessados, ricos em açúcares, sal, gordura hidrogenada e aditivos alimentares, gera uma enorme sobrecarga de produtos oxidativos, ou seja, que irão danificar as nossas células, inclusive as cerebrais. Por outro lado o consumo de frutas, verduras, legumes, cereais integrais, boas fontes de gordura e de proteína nos fornecerão as vitaminas e minerais necessários para manter o bom funcionamento cerebral.

Além disso, nossas escolhas alimentares farão diferença em nossa flora intestinal. Quando consumimos alimentos saudáveis, frescos, livres de contaminantes e aditivos, estaremos alimentando as boas bactérias. Porém ao consumir os ultraprocessados, iremos alimentar as bactérias patogênicas, que quando associadas às toxinas liberadas pelo estresse do dia a dia causam um desequilíbrio em nossa microbiota intestinal.

Já é bem documentada a relação direta entre saúde intestinal e saúde mental, portanto, ao cuidarmos na nossa alimentação estaremos melhorando direta e indiretamente os distúrbios de ansiedade.

 

Alini Faqueti

Nutricionista CRN10 6181

Especialista em Saúde da Família

Pós-Graduada em Nutrição Clínica Funcional

 

Agosto Laranja alerta para a esclerose múltipla

Estamos no Agosto Laranja, criado para chamar a atenção para a importância do Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla, lembrado hoje (30/8). A data busca aumentar a visibilidade para os desafios enfrentados por quem tem a doença. Ainda sem cura, pode causar fadiga, perda de força, alterações na coordenação motora e de equilíbrio, distúrbios visuais e disfunções do intestino e da bexiga.

É uma das doenças neurológicas mais registradas em adultos jovens, com incidência entre 15 e 50 anos, conforme a Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (Abem). O diagnóstico precisa ser feito por meio do histórico clínico detalhado, exames clínico e neurológico completos e confirmados por exames complementares.

Campanha contra Poliomielite e Sarampo começa segunda-feira

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo começa na próxima segunda-feira (6). A meta é imunizar mais de 11 milhões de crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos, público mais suscetível a complicações de ambas as doenças. Em Balneário Camboriú, a expectativa é alcançar a marca de 5.175 crianças. O Dia D de mobilização está previsto para 18 de agosto, um sábado, quando cerca de 36 mil postos de saúde em todo o país estarão abertos.

Este ano, a vacinação será feita de forma indiscriminada, ou seja, todas as crianças dentro da faixa-etária estabelecida serão imunizadas – mesmo as que já estão com o esquema vacinal completo. Neste caso, a criança vai receber um outro reforço. A campanha ocorre em meio a pelo menos dois surtos de sarampo no Brasil, em Roraima e no Amazonas. No caso da pólio, 312 municípios registram baixas taxas de cobertura vacinal contra a doença.

Veja a seguir algumas das principais perguntas e respostas relacionadas à campanha, com base em informações divulgadas pelo Ministério da Saúde:

Quando e onde ocorre a campanha?

Entre 6 e 31 de agosto, com o Dia D agendado para 18 de agosto, em postos de saúde de todo o país.

Qual o foco da campanha?

Crianças com idade entre 1 ano e 5 anos incompletos (4 anos e 11 meses).

Crianças que já foram vacinadas anteriormente devem ser levadas aos postos?

Sim. Todas as crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos devem comparecer aos postos. Quem estiver com o esquema vacinal incompleto receberá as doses necessárias para atualização e quem estiver com o esquema vacinal completo receberá outro reforço.

Qual a vacina usada contra a pólio?

Crianças que nunca foram imunizadas contra a pólio vão receber a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), na forma injetável. Crianças que já receberam uma ou mais doses contra a pólio vão receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), na forma de gotinha.

Qual a vacina usada contra o sarampo?

A vacina contra o sarampo usada na campanha é a Tríplice Viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. Todas as crianças na faixa etária estabelecida vão receber uma dose da Tríplice Viral, independentemente de sua situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Adultos participam da campanha?

Não. A campanha tem como foco crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos.

Mesmo não sendo foco da campanha, adultos precisam de alguma das duas doses?

Sim. Conforme previsto no Calendário Nacional de Vacinação, adultos com até 29 anos que não tiverem completado o esquema na infância devem receber duas doses da Tríplice Viral e adultos com idade entre 30 e 49 anos devem receber uma dose da Tríplice Viral. O adulto que não souber sua situação vacinal deve procurar o posto de saúde mais próximo para tomar as doses previstas para sua faixa etária.

Tireoide equilibrada, organismo regulado

 

O diretor técnico da Anjos do Lar, Carton Murilo Lopes, esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou com os ouvintes sobre as doenças da tireoide, glândula em formato semelhante ao de uma borboleta que fica localizada na região do pescoço e tem a função de regular o organismo. O tema é de extrema importância por que os hormônios produzidos pela tireoide (T3 e T4) regulam desde as mínimas funções cerebrais até aquelas relacionadas ao intestino e aparelho genital.

Doutor Carton explica que este órgão importante do corpo humano envolve vários problemas e doenças autoimunes, mas dois são mais comuns: problemas de função e nódulos. Ambos podem ser diagnosticados com exames laboratoriais e em alguns casos é necessário um ultrassom ou outro exame complementar. O exame clínico com um profissional habilitado também é fundamental!

As mulheres são mais acometidas pelas doenças de tireoide, mas a menopausa não tem nenhuma ligação com elas. Os homens também são afetados, numa proporção de 1 para 5 mulheres.

Problemas de função

Os problemas de função ocorrem quando a glândula está lenta ou muito rápida, produzindo muito ou pouco hormônio. Esse desiquilíbrio causa hipotireoidismo, no caso de pouca produção, ou hipertireoidismo, no caso de muita produção.

O tratamento, nestes casos, é com medicação. No caso do hipotireoidismo, é preciso repor o hormônio não produzido para regularizar o dia a dia do organismo. No caso do hipertireoidismo é preciso medicar para frear o hormônio.

Importante salientar que a dosagem e o tipo de medicação para regular essa disfunção hormonal mudam caso a caso, conforme o estágio da doença e a idade do paciente. Portanto, não pode se automedicar, combinado?!

Quais são os sintomas do hipotireoidismo?

  • Sono;
  • Preguiça;
  • Cansaço;
  • Queda de cabelo;
  • Pele seca;
  • Unha fraca;
  • Intestino preguiçoso.

Quais são os sintomas do hipertireoidismo?

  • Emagrecimento;
  • Coração acelerado;
  • Suor excessivo;
  • Diarreia.

Como prevenir?

  • Com hábitos de vida saudáveis que aumentem a imunidade:
  • 8h de sono por dia;
  • Alimentação regular sem muito industrializado ou agrotóxico;
  • 150 minutos de atividades física por semana.

Nódulos

Quando o exame clínico identifica nódulos (caroços) na tireoide é importante certificar-se de que são benignos e monitorá-los. A maioria deles é benigno. Importante salientar que nódulo não é câncer ou tumor!

Um ultrassom pode dar essa resposta, na maioria das vezes, mas se preciso são solicitados outros exames e, em último caso, é feita uma biópsia.

Se o nódulo está se comportando bem, basta acompanhar essa evolução. Caso ele evolua, com suspeita de malignidade, talvez seja necessário retirá-lo com cirurgia. A partir de então, basta tomar medicação para repor os hormônios, já que a ‘fábrica’ não existe mais.

Importante salientar que essa avaliação deve ser feita por médico habilitado e os exames devem ser feitos em laboratório confiável para evitar a evolução da doença, já que os exames de tireoide são tão específicos.

Recomendações importantes!

  • Mantenha hábitos de vida saudáveis;
  • Não se automedique jamais;
  • Faça checkup com exames de perfil hormonal anualmente;
  • Busque avaliação de profissional desta área;
  • Não pesquise na internet, fale com um médico!

Mais perguntas

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz algumas participações especiais para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

O papel da nutrição no diabetes

O número de diabéticos no Brasil é alto e cresce a cada dia.  A doença, além de silenciosa e demorada para se manifestar, causa graves danos a vários órgãos num longo prazo, o que exige muita atenção e cuidado. A nutricionista da Anjos do Lar Alini Faqueti esteve no jornal A Voz do Povo, da Rádio Conexão FM, onde falou com os ouvintes sobre o papel da alimentação nessa enfermidade. Exatamente, a diabetes tipo 2, a mais comum, é causada principalmente pela má alimentação, especialmente quando há exagero no consumo de açúcares.

A dr. Alini explica que há também outros fatores de risco para a diabetes, doença caracterizada pelo aumento do açúcar no sangue. São eles:

  • Vida estressante;
  • Vida sedentária;
  • Sobrepeso/obesidade;
  • Histórico familiar;
  • Idade avançada.

Os fatores de risco que podem levar à diabetes são bastante comuns entre os brasileiros, motivo pelo qual a luz amarela está acesa no país. Se você se encaixa em um ou mais destes fatores de risco, é importante que procure um profissional e faça um checkup. Esse procedimento deve ser anual, identificando ou não a doença numa primeira rodada de exames. Com o passar dos anos, vamos acumulando no corpo alimentos ruins, falta de atividade física entre outros danos, o que significa que a doença pode demorar um pouco a se manifestar.

Como posso saber se estou doente ou propenso a ter diabetes?

Você se encaixa em alguns dos fatores de risco acima? Sente muita sede ou vontade de urinar? Tem dor nas pernas com frequência ou um borrado na vista? Você come muito doce ou está com sobrepeso? Sente fraqueza com frequência? CUIDADO!!

A nutricionista avisa que diabetes não é o fim da vida, é um novo começo para se cuidar mais e viver melhor. Então vamos entender o que devemos fazer para tratar ou evitar a doença?

  • Procure um profissional e faça um checkup (anualmente);
  • Ao diagnosticar a doença, pare de consumir açúcar de qualquer tipo, seja mel, demerara ou mascavo;
  • Substitua alimentos refinados pelos integrais: arroz, macarrão, pão;
  • Coma apenas 1 carboidrato por refeição, complementando com outros alimentos;
  • Coma 3 frutas ao longo do dia, variando-as e sem fazer suco;
  • Opte sempre por cereais integrais, alimentos ricos em fibra e vegetais;
  • Tome bastante líquido;
  • Faça atividade física;
  • Sem puder não usar adoçantes, melhor, mas se quiser opte pelos naturais, como stevia ou xilitol (adoçantes artificiais não são absorvidos pelo corpo e podem causar câncer em longo prazo).

Quem escolhe não tomar os cuidados necessários corre graves riscos, uma vez que o diabetes pode dar complicações em vários órgãos do corpo. O açúcar é uma partícula grande que entope os pequenos vasinhos. Então pode haver problemas oculares, renais, no fígado, falta de sensibilidade nos pés e nas mãos e até impotência sexual.

Mas afinal, qual é a relação da diabetes com a obesidade?

De acordo com a dr. Alini, o sobrepeso favorece o aparecimento da diabetes. Ela explica que o corpo fica como se estivesse inflamado, o que ataca os vasos. Quando temos obesidade, as células, os órgãos ficam com uma camada de gordura extra que gera resistência à insulina, hormônio produzido para guardar o açúcar. Com isso, ele acaba não chegando aonde deveria chegar.

E a diabetes tipo 1?

A diabetes tipo 1 é a mais grave, pois apresenta maior deficiência de insulina, motivo pelo qual é preciso aplicá-la diariamente. Nestes casos, o cuidado é redobrado na alimentação também. Uma situação comum em quem tem esse tipo de diabetes é ter picos de hipoglicemia (queda brusca de açúcar no sangue). Nestes casos, é importante corrigir o índice, comendo uma balinha doce ou duas. A partir do momento em que estabilizar, volta-se à dieta e aos cuidados, entre os quais, alimentar-se de 3 em 3 horas.

Mande sugestões e nos acompanhe!

Mande suas perguntas ou sugestões de pauta para nós pelo email assessoria@anjosdolar.com.br ou pelo whatsapp 99758-0385! Podemos incluir sua dúvida em uma próxima participação no jornal A Voz do Povo. O programa vai ao ar todos os dias, das 7h às 9h, sob o comando da dupla PC e Peeter Lee Grando. A Anjos do Lar faz uma participação especial para falar sobre saúde nas terças-feiras, às 8h. Acompanhe a gente e participe!

O Outono já chegou

O Verão se despede às 13h15 desta terça-feira (20/3) e chega o Outono, período que traz queda no termômetro e maior risco de contrair as doenças da estação. As oscilações de temperatura tornam o organismo – especialmente das crianças – mais propenso a desenvolver as fatídicas ‘ites’: sinusites, faringites, amigdalites e laringites. Elas são parecidas, mas cada uma exige tratamentos e períodos de cura diferentes. Saiba como se prevenir e se precisar de uma consulta ou medicação, vem pra Anjos do Lar:

Amigdalite: tonsilas palatinas infeccionadas

O frio contribui com a redução do sistema de defesa do organismo, deixando as tonsilas palatinas (mais conhecidas como amígdalas) abertas aos micro-organismos. Quando as bactérias encontram terreno para se desenvolver, surge a amigdalite.
Os sintomas mais comuns são febre alta, mal-estar e dor no corpo, além de dificuldade e dor ao engolir – sintoma mais característico da condição. O tratamento envolve medicamentos anti-inflamatórios, antibióticos e anti-térmicos, quando necessário.

Faringite: sensação de coceira na garganta

Quando infeccionada, a faringe gera sintomas de dor na parede posterior da garganta – facilmente confundida com a amigdalite, diferenciada pela sensação de coceira na garganta. Os outros sintomas incluem ainda febre, dor no corpo e indisposição.
A faringe, conduto muscular que conecta a boca à laringe e esôfago, pode ser infeccionada a partir de vírus ou bactérias, embora a infecção viral seja a mais comum.
O tratamento é medicamentoso, e varia conforme a origem. Se for bacteriana, antibióticos. Para reduzir os sintomas, anti-inflamatórios e até mesmo antialérgicos podem ser recomendados, visto que algumas inflamações podem desencadear quadros alérgicos.

Laringite: inflamação das cordas vocais

A inflamação ou inchaço das cordas vocais dá origem à laringite. O sintoma mais conhecido dessa condição é a perda da voz ou a rouquidão. Essa inflamação é gerada por uma infecção que pode ser viral ou bacteriana – a diferença está na formação das placas, caso seja de origem bacteriana.
Para tratar, são necessários diferentes medicamentos: antibióticos se a causa for bactérias; anti-inflamatórios se for viral. Independentemente da origem, analgésicos para reduzir a dor e repouso vocal para a recuperação mais rápida da voz.

Sinusite: dor no rosto

Ao contrário das outras infecções, a sinusite afeta a região dos seios da face, na região próxima ao nariz. No início, é fácil confundir os sintomas com uma crise de rinite alérgica, pois ambas deixam o nariz trancado, com coriza, secreção e dor.
Anti-inflamatórios e, em alguns casos, antialérgicos compõem o tratamento. Há ainda indicação de spray para o nariz a base de soro, corticoides e, no caso de infecção bacteriana, o uso de antibióticos.

Crianças exigem cuidados especiais no Verão

O calor se intensificou nos últimos dias e promete continuar por muitas semanas. Quem mais sofre com ele são as crianças, portanto procure tomar cuidados extras com os pequenos neste período para evitar hospitais por conta da proliferação de doenças comuns no Verão.

Nesta época do ano, são corriqueiros os casos de diarreia, dor de cabeça, dor no corpo, vômito e mal-estar em geral, causados normalmente por intoxicação alimentar, desidratação, dengue e até hepatite A.

Para evitar o sofrimento dos pequenos e dos pais, siga algumas recomendações importantes e lembre-se: qualquer sinal de problema acione um pediatra! A Anjos do Lar dispõe dessa especialidade no quadro clínico. Basta agendar com nossa secretária no 3263-0469. Agora fique com nossas dicas e curta o Verão em família com segurança:

  • Micoses se proliferam em locais quentes e úmidos. Para prevenir, opte por chinelos e sandálias, principalmente em vestiários de parques aquáticos;
  • Na praia, opte por locais que tragam a bandeira de ‘própria para banho’;
  • A roupa deve ser apropriada nesta época. Quanto mais clara a cor, mais luz ela reflete e mais fresca se torna. Tecidos leves também são fundamentais;
  • As crianças sofrem mais com picadas de insetos, por isso use repelente em locais e horários propensos a pernilongos e outros insetos. Refil com veneno para dormir também é importante;
  • Evite expor excessivamente as crianças ao sol, principalmente no período entre 10h e 16h;
  • Aplique protetor solar nos pequenos pelo menos 15 minutos antes da exposição ao sol, repetindo a aplicação a cada duas horas;
  • Tomar cerca de dois litros de água por dia é fundamental;
  • Evite dar banhos longos com água muito quente;
  • Passar hidratante no corpo deles diariamente com a pele um pouco úmida é ótimo;
  • Dê preferência a alimentos leves, como frutas e saladas, e evite alimentos e carnes cruas, especialmente peixe. Dê uma pausa nos salgadinhos e não exagere no sorvete!