Dia Internacional de Atenção à Pessoa com Lúpus

 

O lúpus é uma doença auto imune, crónica, não contagiosa, onde o sistema imunológico ataca o próprio organismo. Os sintomas são imensos pelo que se afirma que o lúpus consiste mesmo num conjunto de doenças ou numa imitação doutras doenças. Pode registar-se uma inflamação nas articulações, tendões e mesmo órgãos. As erupções cutâneas são frequentes com esta doença que pode atacar qualquer parte do corpo.

O lúpus afeta especialmente mulheres (90%), podendo aparecer em qualquer idade (principalmente dos 15 aos 44 anos). Não se sabe ainda se esta doença é hereditária.

O que causa a doença lúpus?

O lúpus ocorre quando o sistema imunológico ataca e destrói alguns tecidos saudáveis do corpo. Não se sabe exatamente o causa esse comportamento anormal, mas pesquisas indicam que a doença seja resultado de uma combinação de fatores, como hormonais, infecciosos, genéticos e ambientais.

Esses mesmos estudos mostram que pessoas com pré-disposição ao lúpus podem desenvolver a doença ao entrar em contato com algum elemento do meio ambiente capaz de estimular o sistema imunológico a agir de forma errada. O que a ciência ainda não sabe é quais são todos esses componentes. Os pesquisadores, no entanto, têm alguns palpites:

Luz solar: a exposição à luz do sol pode iniciar ou agravar uma inflamação preexistente a desenvolver lúpus

Infecções: Ter uma infecção pode iniciar lúpus ou causar uma recaída em algumas pessoas

Medicamentos: lúpus também pode estar relacionado ao uso de determinados antibióticos, medicamentos usados para controlar convulsões e também para pressão alta. Pessoas com sintomas parecidos com os do lúpus geralmente param de apresentar quando interrompem o uso.

Alguns sintomas de Lúpus

Os sintomas do lúpus podem surgir de repente ou se desenvolver lentamente. Eles também podem ser moderados ou graves, temporários ou permanentes. A maioria dos pacientes com lúpus apresenta sintomas moderados, que surgem esporadicamente, em crises, nas quais os sintomas se agravam por um tempo e depois desaparecem.

Os sintomas podem também variar de acordo com as partes do seu corpo que forem afetadas pelo lúpus. Os sinais mais comuns são:

  • Fadiga
  • Febre
  • Dor nas articulações
  • Rigidez muscular e inchaços
  • Rash cutâneo – vermelhidão na face em forma de “borboleta” sobre as bochechas e a ponta do nariz. Afeta cerca de metade das pessoas com lúpus. O rash piora com a luz do sol e também pode ser generalizado
  • Lesões na pele que surgem ou pioram quando expostas ao sol
  • Dificuldade para respirar
  • Dor no peito ao inspirar profundamente
  • Sensibilidade à luz do sol
  • Dor de cabeça, confusão mental e perda de memória
  • Linfonodos aumentados
  • Queda de cabelo
  • Feridas na boca
  • Desconforto geral, ansiedade, mal-estar.

Como diagnosticar o lúpus?

É difícil realizar o diagnóstico para lúpus, pois os sintomas variam muito de pessoa para pessoa, mudam com o passar de tempo, sobrepõem-se uns aos outros e confundem-se com os sintomas de outras doenças.

Não existe nenhum teste específico para diagnosticar o lúpus. A combinação de testes de sangue e urina, sintomas encontrados no exame físico conduzem ao diagnóstico.

Os exames usados para diagnosticar o lúpus incluem:

  • Exame físico
  • Exames de anticorpos, incluindo teste de anticorpos antinucleares
  • Hemograma completo
  • Radiografia do tórax
  • Biópsia renal
  • Exame de urina

Lúpus tem cura?

A medicina ainda não desenvolveu um método para curar o lúpus. Contudo, o prognóstico do lúpus é melhor hoje do que nunca. Com acompanhamento e tratamento próximos, 80-90% das pessoas com lúpus podem viver uma vida normal.

Tratamento de Lúpus

Existe tratamento mas não há cura definitiva para o lúpus, assim como outras doenças como diabetes e pressão alta. O principal objetivo do tratamento é controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida das pessoas com a doença.

A doença branda pode ser tratada com:
  • Anti-inflamatórios não esteroides para artrite e pleurisia
  • Protetor solar para as lesões de pele
  • Corticoide tópico para pequenas lesões cutâneas
  • Uma droga antimalárica (hidroxicloroquina) e corticoides de baixa dosagem para os sintomas de pele e artrite.
O tratamento para lúpus mais grave inclui:
  • Alta dosagem de corticoides ou medicamentos para diminuir a resposta do sistema imunológico do corpo (imunossupressores)
  • Drogas citotóxicas (drogas que bloqueiam o crescimento celular) quando não houver melhora com corticoides ou quando os sintomas piorarem depois de interromper o uso. Esses medicamentos têm efeitos colaterais graves, por isso o médico deverá monitorar o uso com muita frequência.

08 de MAIO – Dia Internacional da Cruz Vermelha

Cruz vermelha em zona de Guerra

 

Dia Internacional da Cruz Vermelha é celebrado em 8 de maio.

Nesta data a solidariedade e a ajuda humanitária são as grandes homenageadas, pois são duas das características mais marcantes da Cruz Vermelha.

O Dia da Cruz Vermelha é comemorado nesta data em homenagem a data de nascimento do fundador desta organização humanitária (considerada a maior do mundo), Henry Dunant, em 8 de maio de 1828, em Genebra, na Suíça.

A Cruz Vermelha foi fundada em 1863. Quatro anos antes, em 1859, Henry Dunant, após cruzar o norte da Itália, liderou diversos esforços de socorro em favor de centenas de soldados feridos na batalha de Solferino, sem discriminar a cor das fardas.

 

Com a ajuda de quatro outros suíços e o apoio do governo local, há 154 anos foi fundada esta organização que hoje está presente em 190 países, cuidando de comunidades afetadas por catástrofes naturais, doenças, pobreza, fome, guerras e outros tipos de violência. E reúne o impressionante número de aproximadamente 97 milhões de voluntários ao redor de todo o planeta.

Como resposta a sua colaboração à humanidade, Henry Dunant recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1901.

Cruz Vermelha no Brasil

A Cruz Vermelha Brasileira (CVB) foi fundada em 5 de dezembro de 1908, por iniciativa do doutor Joaquim de Oliveira Botelho, que se inspirou neste movimento internacional e decidiu implantá-lo no Brasil para ajudar a proteger e salvar vidas brasileiras.

A CVB atua seguindo todos os princípios internacionais da Cruz Vermelha, além da constituição definida de acordo com as convenções de Genebra.

Atualmente, estima-se que existam mais de 20 mil voluntários da Cruz Vermelha cadastrados em todo o país.

 

08 de Março Dia Internacional Da Mulher

Muitas pessoas consideram o 8 de Março apenas uma data de homenagens às mulheres.

Mas, diferentemente de outros dias comemorativas, ela não foi criada pelo comércio e tem raízes históricas mais profundas e sérias.

História e Origem do Dia Internacional da Mulher

A luta das mulheres por melhores condições de vida e trabalho começou a partir do final do século XIX, principalmente na Europa e nos Estados Unidos.

As jornadas de trabalho de 15 horas diárias, os baixos salários e a discriminação de gênero eram alguns dos pontos que eram debatidos pelas manifestantes da época.

De acordo com registros históricos, o primeiro Dia da Mulher foi celebrado nos Estados Unidos em maio de 1908 (Dia Nacional da Mulher), onde mais de 1.500 mulheres se uniram em prol da igualdade política e econômica no país.

No entanto, o 8 de março teve origem com as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho, durante a Primeira Guerra Mundial (1917). A manifestação, que contou com mais de 90 mil russas, ficou conhecida como “Pão e Paz”, sendo este o marco oficial para a escolha do Dia Internacional da Mulher no 8 de março, data que somente foi oficializada em 1921.

Após este conflito e com as transformações trazidas com a Segunda Revolução Industrial, as fábricas incorporaram as mulheres como mão de obra barata. No entanto, devido às condições insalubres de trabalho, os protestos eram frequentes.

Também nas primeiras décadas do século, as mulheres começam a lutar pelo direito ao voto e à participação política.

Por muito tempo, a data foi esquecida e acabou sendo recuperada somente com o movimento feminista nos anos 60. A Organização das Nações Unidas, por exemplo, somente reconheceu o Dia Internacional da Mulher em 1977.

Atualmente, além do caráter festivo e comemorativo, o Dia Internacional da Mulher ainda continua servindo como conscientização para evitar as desigualdades de gênero em todas as sociedades.

Doenças Cardiovasculares

 

Alguns Fatos Importantes:

  • As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo: mais pessoas morrem anualmente por essas enfermidades do que por qualquer outra causa.
  • Estima-se que 17,7 milhões de pessoas morreram por doenças cardiovasculares em 2015, representando 31% de todas as mortes em nível global. Desses óbitos, estima-se que 7,4 milhões ocorrem devido às doenças cardiovasculares e 6,7 milhões devido a acidentes vasculares cerebrais (AVCs).
  • Mais de três quartos das mortes por doenças cardiovasculares ocorrem em países de baixa e média renda.
  • Das 17 milhões de mortes prematuras (pessoas com menos de 70 anos) por doenças crônicas não transmissíveis, 82% acontecem em países de baixa e média renda e 37% são causadas por doenças cardiovasculares.
  • A maioria das doenças cardiovasculares pode ser prevenida por meio da abordagem de fatores comportamentais de risco – como o uso de tabaco, dietas não saudáveis e obesidade, falta de atividade física e uso nocivo do álcool –, utilizando estratégias para a população em geral.
  • Para as pessoas com doenças cardiovasculares ou com alto risco cardiovascular (devido à presença de um ou mais fatores de risco como hipertensão, diabetes, hiperlipidemia ou doença já estabelecida) é fundamental o diagnóstico e tratamento precoce, por meio de serviços de aconselhamento ou manejo adequado de medicamentos.

 

O que são as doenças cardiovasculares? 

As doenças cardiovasculares são um grupo de doenças do coração e dos vasos sanguíneos e incluem:

  • Doença coronariana – doença dos vasos sanguíneos que irrigam o músculo cardíaco.
  • Doença cerebrovascular – doença dos vasos sanguíneos que irrigam o cérebro.
  • Doença arterial periférica – doença dos vasos sanguíneos que irrigam os membros superiores e inferiores.
  • Doença cardíaca reumática – danos no músculo do coração e válvulas cardíacas devido à febre reumática, causada por bactérias estreptocócicas.
  • Cardiopatia congênita – malformações na estrutura do coração existentes desde o momento do nascimento.
  • Trombose venosa profunda e embolia pulmonar – coágulos sanguíneos nas veias das pernas, que podem se desalojar e se mover para o coração e pulmões.

Ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais geralmente são eventos agudos causados principalmente por um bloqueio que impede que o sangue flua para o coração ou para o cérebro.

A razão mais comum para isso é o acúmulo de  de gordura nas paredes internas dos vasos sanguíneos, que irrigam o coração ou o cérebro.

Os acidentes vasculares cerebrais também podem ser causados por uma hemorragia em vasos sanguíneos do cérebro ou a partir de coágulos de sangue.

A causa de ataques cardíacos e AVCs geralmente são uma combinação de fatores de risco;

 

Fatores de risco comportamentais:

  • Dietas inadequadas
  • Sedentarismo
  • Uso de tabaco
  • Uso nocivo do álcool

 

Os efeitos dos fatores comportamentais de risco podem se manifestar em indivíduos por meio de pressão arterial elevada, glicemia alta, hiperlipidemia, sobrepeso e obesidade.

A cessação do tabagismo, redução do sal na dieta, consumo de frutas e vegetais, atividades físicas regulares e evitar o uso nocivo do álcool têm se mostrado eficazes para reduzir o risco de doenças cardiovasculares.

 

Benefícios do exercício físico para quem tem doença cardiovascular

  • Reduz a tensão arterial e o colesterol;
  • Melhora a capacidade de absorver e utilizar o oxigênio.
  • Aumenta os níveis de energia e diminui o cansaço.
  • Melhora a qualidade do sono.
  • Pode reduzir os sintomas de insuficiência cardíaca congestiva.
  • Ajuda a pessoa a atingir e/ou manter um peso saudável.
  • Ajuda a controlar o estresse.

Alguns alimentos que auxiliam na saúde vascular

  • Acerola, laranja, goiaba, amora e morango ( Vitamina C)
  • Cebola roxa e mirtilo( Quercetina)
  • Peixes de água fria e azeite de linhaça (Ômega 3)
  • Suco de uva integral (Antioxidantes)
  • Alimentos sem glúten
  • Abacaxi (Bromelaína)
  • Amendoim (Vitamina B3)
  • Gérmen de trigo (Vitamina B1)
  • Pimenta Cayenna (estimula a circulação)
  • Alho (Aumenta a fluidez sanguínea)
  • Vinagre de Maçã (Aumenta a fluidez sanguínea)
  • Chá verde (Diminui o inchaço)

E Muita Aguá!

 

Quais são os principais sintomas das doenças cardiovasculares?

Muitas vezes não há sintomas da doença dos vasos sanguíneos. Um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral pode ser o primeiro aviso da doença. Os sintomas do ataque cardíaco incluem:

  • Dor ou desconforto no centro do peito;
  • Dor ou desconforto nos braços, ombro esquerdo, cotovelos, mandíbula ou costas.

Além disso, a pessoa pode ter dificuldade em respirar ou falta de ar; sensação de enjoo ou vômito; sensação de desmaio ou tontura; suor frio; e palidez. Mulheres são mais propensas a apresentar falta de ar, náuseas, vômitos e dores nas costas ou mandíbula.

 

O sintoma mais comum de um acidente vascular cerebral (AVC) é uma súbita fraqueza da face e dos membros superiores e inferiores, mais frequentes em um lado do corpo. Entre os sintomas, estão:

  • Dormência na face, braços ou pernas, especialmente em um lado do corpo;
  • Confusão, dificuldade para falar ou para entender;
  • Dificuldade para enxergar com um ou ambos os olhos;
  • Dificuldade para andar, tontura, perda de equilíbrio ou coordenação;
  • Dor de cabeça intensa sem causa aparente; e
  • Desmaio ou inconsciência.

As pessoas que apresentarem tais sintomas devem procurar imediatamente assistência médica.

 

O que o governo faz para reduzir as doenças cardiovasculares?

  • Políticas abrangentes para controle do tabaco.
  • Impostos para reduzir a ingestão de alimentos ricos em gorduras, açúcares e sal.
  • Construção de vias para caminhada e ciclismo, com o objetivo de aumentar a prática de atividades físicas.
  • Estratégias para reduzir o uso nocivo do álcool.
  • Fornecimento de refeições saudáveis para crianças no ambiente escolar.

 

“O maior erro que um homem pode cometer é sacrificar a sua saúde a qualquer outra vantagem.”

-Arthur Schopenhauer

Mês de Conscientização da AIDS

Dezembro é o mês de Conscientização da AIDS ou SIDA (Síndrome da imunodeficiência adquirida) em inglês: acquired immunodeficiency syndrome – (AIDS)

 

História da origem da AIDS

Acredita-se que a AIDS surgiu no Congo em 1920 mas ela se tornou conhecida em 1981 nos Estados Unidos, quando começaram a surgir as primeiras pessoas afetadas, que apresentavam sarcoma de Kaposi, um tipo raro de pneumonia e um grave comprometimento do sistema imune. Apesar de ainda não existir um medicamento que possa curar a AIDS ou eliminar o vírus HIV, com o avanço da medicina a pessoa pode viver muitos anos, desde que tenha todos os cuidados necessários.

A história resumida da AIDS é a seguinte:

1920: O vírus HIV encontrava-se no Congo, provavelmente em primatas, porque estes normalmente possuem vírus da mesma família do HIV. Chimpanzés africanos possuem vírus 98% semelhante ao HIV que se manifesta em humanos, e por isso acredita-se que eles tenham um antecedente comum.

1981: Primeiros casos de pessoas com grave comprometimento do sistema imune, que morreram com doenças pouco comuns. Todos eram americanos homossexuais e apresentaram Sarkoma de Kaposi, um tipo de câncer que ficou conhecido como câncer gay.

1983: Cientistas franceses conseguiram identificar o vírus da AIDS, o HIV – 1 no sangue e nas secreções corporais: leite materno, secreções vaginais e sêmen, por onde a doença é transmitida.

1986: Foi identificado um outro vírus do HIV, que foi chamado de HIV -2 e também foi criado o 1º medicamento contra AIDS, o azidovudina – AZT – um antirretroviral que apesar de não eliminar o vírus HIV, ajudava a impedir que o vírus se multiplicasse dentro do corpo. Surgiram os primeiros casos na Europa.

1996: Foi criado o 1º coquetel de medicamentos, composto por 3 remédios que ajudam a combater a replicação do vírus, aumentando o tempo de vida dos soropositivos. Surgiram casos na África, Índia e China.

2006: Foi descoberto que a circuncisão, que é corte do prepúcio que recobre a cabeça do pênis, diminui em 50% as chances dos homens serem contaminados com HIV.

2010: Foi descoberto que um gel vaginal contendo medicamentos antirretrovirais, quando usado corretamente por mulheres, diminui em 50% as chances das mulheres serem contaminadas com HIV.

2011: Foi descoberto que se as pessoas soropositivas fizessem o tratamento logo depois de serem contaminadas, diminuía grandemente as chances de contaminar seus parceiros sexuais.

 

Como é transmitido?

O vírus HIV encontra-se no sangue e nos fluidos corporais: leite materno, secreções vaginais e sêmen. Assim, a pessoa pode ser contaminada com o vírus HIV quando entra em contato direto com essas secreções, o que pode acontecer das seguintes formas:

Durante a amamentação, por isso mulheres HIV + não podem amamentar e seus filhos devem nascer de cesariana programada para que não sejam contaminados;

Durante a gravidez, quando a mulher não sabe que tem o vírus, porque os medicamentos antirretrovirais na gravidez e durante o parto diminuem muito as chances do bebê ser contaminado;

Sexo sem camisinha com pessoa HIV +, seja vaginal, oral ou anal;

Partilha de seringas para uso de drogas injetáveis;

Contato direto com sangue da pessoa HIV +, em acidente de trânsito, cortes ou outros acidentes com objetos perfurantes como facas, seringas, tesoura ou bisturi, por exemplo.

Os fatores que aumentam o risco de transmissão são: carga viral alta, AIDS propriamente dita, sexo anal receptivo, sexo durante a menstruação, sexo com pessoas com cancro mole, sífilis e herpes genital.

 

Condutas que não transmitem a Aids

É importante quebrar mitos e tabus, esclarecendo que a pessoa infectada com HIV ou que já tenha manifestado a AIDS não transmitem a doença das seguintes formas:

  • Sexo, desde que se use corretamente a camisinha.
  • Masturbação a dois.
  • Beijo no rosto ou na boca.
  • Suor e lágrima.
  • Picada de inseto.
  • Aperto de mão ou abraço.
  • Sabonete/toalha/lençóis.
  • Talheres/copos.
  • Assento de ônibus.
  • Doação de sangue.
  • Pelo ar.

 

Sintomas de HIV

Logo ao ser contaminado com o vírus HIV o corpo pode reagir, manifestando sintomas como:

  • Cansaço, febre baixa, irritação na garganta,
  • Dor de cabeça, suor noturno, diarreia,
  • Candidíase oral, dor nos músculos e articulações, sensibilidade à luz,
  • Enjoo, vômito, perda de peso, pequenas feridas dentro da boca.

Estes sintomas duram no máximo 14 dias, e podem ser facilmente confundido com uma simples gripe. Como estes sintomas não chamam atenção e parecem corriqueiros é normal a pessoa só descobrir que tem o vírus meses ou anos depois da contaminação ao realizar um exame de sangue específico para HIV

Mas mesmo se realizar os exames para HIV nessa fase, o resultado será negativo.

Normalmente estes sintomas não duram mais de 1 semana e depois desaparecem completamente. O vírus passa a se replicar dentro do corpo humano de forma silenciosa, durante 8 à 10 anos, sem gerar nenhum sintoma, e esta fase é chamada de Assintomática.

 

Sintomas da AIDS

Os primeiros sintomas próprios de AIDS surgem quando o sistema de defesa do corpo encontra-se muito comprometido, o que favorece o surgimento de doenças. Nessa fase, surgem sintomas como:

  • Enjoo, vômito, diarreia,
  • Suor noturno, fadiga,
  • Sinusite, candidíase oral e vaginal,
  • Inchaço dos gânglios linfáticos,
  • Emagrecimento evidente.

A partir daí a pessoa parece muito doente e o seu sistema imune estará cada vez mais comprometido, dando surgimento à doenças oportunistas como toxoplasmose, sarcoma de Kaposi, hepatite, herpes e candidíase, por exemplo.

 

Diagnostico

A única forma de confirmar que a pessoa está infectada com o vírus HIV, e que pode desenvolver as doenças relacionadas à AIDS, é fazendo um exame de sangue específico chamado anti-HIV 1 e anti-HIV 2. Esse exame de sangue está disponível em todas as clínicas, hospitais e laboratórios, e podem ser realizados gratuitamente pelo SUS, nos centros de testagem espalhados pelo país.

Esse exame deve ser realizado por todas as mulheres que desejam engravidar, faz parte do pré-natal de todas as gestantes acompanhadas no SUS ou em clínicas particulares, e todo sangue doado é testado. No entanto, qualquer pessoa pode realizar o teste da AIDS, se achar que pode ter tido contato com vírus porque usou drogas injetáveis ou teve relações sexuais sem camisinha, por exemplo.

O melhor momento para fazer o teste do HIV é entre 40 e 60 dias após o comportamento de risco, isto é, depois do momento em que a pessoa acha que pode ter sido contaminada, porque caso o teste seja feito antes desses 40 dias, seu resultado pode estar errado.

 

O que o HIV faz ao corpo?

O vírus ataca linfócitos específicos chamados de células T auxiliares (também conhecidas como células T ), as toma e se multiplica. Isso destrói mais células T, o que prejudica a capacidade do organismo de combater germes e doenças invasoras.

Quando o número de células T cai para um nível muito baixo, as pessoas com HIV tornam-se mais suscetíveis a outras infecções. Eles também podem ter certos tipos de câncer que um corpo saudável normalmente seria capaz de combater. Essa imunidade enfraquecida (ou imunodeficiência ) é conhecida como AIDS.

Embora a AIDS seja sempre causada por uma infecção pelo HIV, nem todos com HIV têm AIDS.

 

Infecções causadas pelo baixo nível de células T

Uma infecção oportunista é uma infecção causada por micro-organismos que se aproveitam da debilidade das defesas do organismo para causar dano. Infecções oportunistas ocorrem em pessoas com sistemas imunológicos comprometidos, permitindo que tais organismos causem uma infecção generalizada.

São elas:

infecções virais, como uma forma de pneumonia crônica da marcha chamada pneumonia intersticial linfoide (LIP), vírus herpes simplex, herpes zoster e infecção por citomegalovírus

  • infecções parasitárias, como a PCP (uma pneumonia causada por Pneumocystis jirovecii, um parasita microscópico que não pode ser combatido devido a um sistema imunológico enfraquecido) e toxoplasmose
  • infecções bacterianas graves, como meningite bacteriana, tuberculose e salmonelose
  • infecções fúngicas, como esofagite (inflamação do esôfago) e candidíase(infecção por fungos)

 

A baixa imunidade permite o aparecimento de doenças oportunistas, com isso, atinge-se o estágio mais avançado da doença, a aids. Quem chega a essa fase, por não saber da sua infecção ou não seguir o tratamento indicado pela equipe de saúde, pode sofrer de hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer. Por isso, sempre que você transar sem camisinha ou passar por alguma outra situação de risco, procure uma unidade de saúde imediatamente, informe-se sobre a Profilaxia Pós-Exposição (PEP) e faça o teste.

 

Pré-natal

Durante a gestação e no parto, pode ocorrer a transmissão do HIV (vírus causador da aids), e também da sífilis e da hepatite B para o bebê. O HIV também pode ser transmitido durante a amamentação. Por isso as gestantes, e também suas parcerias sexuais, devem realizar os testes para HIV, sífilis e hepatites durante o pré-natal e no parto.

O diagnóstico e o tratamento precoce podem garantir o nascimento saudável do bebê. Informe-se com um profissional de saúde sobre a testagem.

Que testes a gestante deve realizar no pré-natal?

  • Nos três primeiros meses de gestação: HIV, sífilis e hepatites.
  • Nos três últimos meses de gestação: HIV e sífilis.
  • Em caso de exposição de risco e/ou violência sexual: HIV, sífilis e hepatites.
  • Em caso de aborto: sífilis.

Os testes para HIV e para sífilis também devem ser realizados no momento do parto, independentemente de exames anteriores. O teste de hepatite B também deve ser realizado no momento do parto, caso a gestante não tenha recebido a vacina.

E se o teste for positivo para o HIV durante a gestação?

As gestantes que forem diagnosticadas com HIV durante o pré-natal têm indicação de tratamento com os medicamentos antirretrovirais durante toda gestação e, se orientado pelo médico, também no parto. O tratamento previne a transmissão vertical do HIV para a criança.

O recém-nascido deve receber o medicamento antirretroviral (xarope) e ser acompanhado no serviço de saúde. Recomenda-se também a não amamentação, evitando a transmissão do HIV para a criança por meio do leite materno

 

Tratamento

Os medicamentos antirretrovirais (ARV) surgiram na década de 1980 para impedir a multiplicação do HIV no organismo. Esses medicamentos ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico. Por isso, o uso regular dos ARV é fundamental para aumentar o tempo e a qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV e reduzir o número de internações e infecções por doenças oportunistas.

Desde 1996, o Brasil distribui gratuitamente os ARV a todas as pessoas vivendo com HIV que necessitam de tratamento. Atualmente, existem 22 medicamentos, em 38 apresentações farmacêuticas, conforme relação abaixo:

Item Descrição Unidade de fornecimento
1 Abacavir (ABC) 300mg Comprimido revestido
2 Abacavir (ABC) solução oral Frasco
3 Atazanavir (ATV) 200mg Cápsula gelatinosa dura
4 Atazanavir (ATV) 300mg Cápsula gelatinosa dura
5 Darunavir (DRV) 75mg Comprimido revestido
6 Darunavir (DRV) 150mg Comprimido revestido
7 Darunavir (DRV) 600mg Comprimido revestido
8 Dolutegravir (DTG) 50mg Comprimido revestido
9 Efavirenz (EFZ) 200mg Cápsula gelatinosa dura
10 Efavirenz (EFZ) 600mg Comprimido revestido
11 Efavirenz (EFZ) solução oral Frasco
12 Enfuvirtida (T20) Frasco-ampola
13 Entricitabina 200mg + tenofovir 300mg Comprimido revestido
14 Estavudina (d4T) pó para solução oral Frasco
15 Etravirina (ETR) 100mg Comprimido revestido
16 Etravirina (ETR) 200mg Comprimido revestido
17 Fosamprenavir (FPV) 50mg/mL Frasco
18 Lamivudina (3TC) 150mg Comprimido revestido
19 Lamivudina 150mg + zidovudina 300mg (AZT + 3TC) Comprimido revestido
20 Lamivudina (3TC) solução oral Frasco
21 Lopinavir 100mg + ritonavir 25mg (LPV/r) Comprimido revestido
22 Lopinavir 80mg/mL + ritonavir 20mg/mL (LPV/r solução oral) Frasco
23 Lopinavir/ritonavir (LPV/r) 200mg + 50mg Comprimido revestido
24 Maraviroque (MVC) 150mg Comprimido revestido
25 Nevirapina (NVP) 200mg Comprimido simples
26 Nevirapina (NVP) suspensão oral Frasco
27 Raltegravir (RAL) 100mg Comprimido mastigável
28 Raltegravir (RAL) 400mg Comprimido revestido
29 Ritonavir (RTV) 100mg Comprimido revestido
30 Ritonavir (RTV) 80mg/mL Frasco
31 Tenofovir (TDF) 300mg Comprimido revestido
32 Tenofovir 300mg + lamivudina 300mg Comprimido revestido
33 Tenofovir 300mg + lamivudina 300mg + efavirenz 600mg Comprimido revestido
34 Tipranavir (TPV) 100mg/mL Frasco
35 Tipranavir (TPV) 250mg Cápsula gelatinosa mole
36 Zidovudina (AZT) 100mg Cápsula gelatinosa dura
37 Zidovudina (AZT) solução injetável Frasco-ampola
38 Zidovudina (AZT) xarope Frasco

 

Para saber mais:

http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/aids

http://giv.org.br/HIV-e-AIDS/Medicamentos/index.html

http://www.repositorio.unb.br/bitstream/10482/6019/1/ARTIGO_CriancasAdolescentesHIV.pdf

Ervas medicinais que podem ser úteis!

 

Desde sempre o homem faz uso de plantas para tratar os mais diversos tipos de doenças. Essa prática tão antiga permanece sendo muito utilizada nos dias atuais.

Acontece que, de fato, algumas espécies realmente fazem bem e garantem verdadeiros efeitos que beneficiam a nossa saúde. No entanto, é importante estar atento e desacreditar da história de que tudo que é natural não faz mal. Na realidade não é bem assim!

Muitas plantas precisam de alguns recursos químicos para se defender, como por exemplo, os alcaloides para afastar predadores, por serem tóxicos e amargos. Ou ainda óleos essenciais que são utilizados para atrair aves para a polinização. Algumas dessas substâncias podem sim atuar de forma positiva em nosso organismo, mas, outras podem provocar sérios danos.

 

Algumas ervas medicinais que podem ser úteis:

 

Alecrim

Também chamada de erva da alegria, seus óleos essenciais favorecem a produção de neurotransmissores responsáveis pelo bem estar.

  • Combate à tosse, gripe e asma.
  • Equilibra a pressão arterial.
  • Auxilia o tratamento de dores reumáticas e contusões.
  • É diurético e ajuda a digestão.
  • Facilita a menstruação e alivia as cólicas menstruais.
  • Reduz gases intestinais
  • Combate o stress
  • Tratamento de hemorroidas
  • Reduz o mau hálito

 

Alfazema

  • Diminuir a ansiedade e agitação;
  • Reduzir a pressão arterial;
  • Diminuir a febre;
  • Estimular a cicatrização de aftas;
  • Estabiliza o batimento cardíaco;
  • Reduzir a dor da enxaqueca;
  • Promover o relaxamento;
  • Melhorar a qualidade do sono;
  • Reduzir o estresse;
  • Combater a depressão;

 

Cidreira

Indutora do sono, alivia dores de cabeça e gases intestinais, a cidreira também é sedativa, analgésica, calmante, diurética, hipotensora, depurativa e expectorante. É indicada para:

  • Melhorar a digestão;
  • Aliviar cólicas menstruais e intestinais;
  • Tratar distúrbios renais;
  • Tratar conjuntivites;
  • Aliviar a tosse;
  • Evitar espasmos;
  • Combater a febre alta;
  • Eliminar diarreias;
  • Tratar sintomas relacionados a reumatismos;
  • Melhorar problemas de estômago;
  • Acalmar os nervos e palpitações do coração.

 

Marcela do Campo

  • Bom funcionamento do sistema digestivo;
  • Prevenção de uma série de doenças do estômago;
  • Aliviar cólicas intestinais.

 

Guaraná

Bastante conhecida pelo refrigerante, as folhas de guaraná também têm seu papel na fitoterapia.

 

  • Combate o esgotamento físico e mental.
  • Ajuda a tratar depressão.
  • Estimula as funções cerebrais.
  • Favorece atividades intelectuais.
  • Previne arteriosclerose e artritismo

Além disso, também é uma excelente bebida tônica, estimulante e um substituto mais saudável dos energéticos.

 

Boldo

Muito usado para curar ressaca, o chá de boldo:

  • Estimula a digestão e a secreção biliar, sendo bastante útil no tratamento de distúrbios intestinais e hepáticos.
  • Combate a prisão de ventre.
  • Alivia gases intestinais.
  • Ajuda a tratar transtornos do fígado.
  • Ajuda na queima de gorduras.

 

Camomila

O chá de camomila é o preferido de quem está buscando um calmante natural. Só que suas propriedades vão além disso:

  • Desintoxica o fígado.
  • Auxilia no tratamento de reumatismo e da excitação nervosa.
  • Alivia enxaqueca.
  • Diminui dores de dente.
  • Combate à insônia.
  • Alivia enjoos.
  • Tonifica a pele.
  • Tem ação anti-inflamatória.
  • Reduz febres intermitentes.

 

 Carqueja

  • Melhorar a má digestão.
  • Reduzir o cansaço físico.
  • Aliviar a prisão de ventre.
  • Combater a gastrite.
  • Aliviar a azia.
  • Tratar anemia.
  • Prevenir contra distúrbios do fígado e dos rins.
  • Ajudar no tratamento de diabetes.
  • Tratar inflamações urinárias.
  • Combater problemas na próstata.
  • Combater o colesterol alto.
  • Melhorar quadros de gota e angina.
  • Auxiliar no processo de desintoxicação e emagrecimento.
  • Revigorar funções genitais.
  • Reduzir a retenção de líquidos, graças ao seu efeito diurético no organismo.
  • Combater asma.
  • Substituir alguns tipos de antibióticos.

 

Erva doce

  • Acalma os nervos.
  • Elimina o mau hálito.
  • Elimina as toxinas da pele.
  • Alivia cólicas intestinais.
  • Reduz prisão de ventre.
  • Estimula o apetite.
  • Melhora a digestão e a secreção biliar.
  • Restaura o fluxo menstrual.
  • Aumenta a produção de leite das lactantes.
  • Alivia a azia.
  • Muito usado na culinária também como aromatizante.

 

Agrião

  • Melhorar a saúde dos olhos e da pele, devido ao alto teor de vitamina A;
  • Fortalecer o sistema imunológico, por ser rico em vitamina C;
  • Prevenir doenças cardíacas como infarto e aterosclerose, por ser rico nas vitaminas C e K;
  • Prevenir anemia, por ser rico em ácido fólico;
  • Fortalecer os ossos, devido à presença de vitamina K, que aumenta a absorção de cálcio;
  • Melhorar a digestão e ajudar a emagrecer, por ser pobre em calorias;
  • Combater doenças respiratórias, por ter propriedades expectorantes e descongestionantes;
  • Potencial efeito anti-câncer, devido à presença de antioxidantes e de uma substância chamada glucosinolato.

 

Canela

  • Acelera o metabolismo.
  • Possui antioxidantes.
  • Tem propriedades anti-inflamatórias.
  • Reduz o risco de doença cardíaca.
  • Melhora a sensibilidade à insulina.
  • Diminui o açúcar no sangue.
  • Previne doenças neurodegenerativas.
  • Previne câncer.

Diabetes

O círculo azul é o logo oficial do Diabetes.

O que é?

O Diabetes mellitus, ou simplesmente diabetes, é um grupo de doenças metabólicas  cuja principal característica é o aumento de açúcar no sangue. Ela altera o metabolismo do açúcar, da gordura e da proteínas.

O pâncreas é o órgão responsável pela produção do hormônio denominado insulina. Este hormônio é responsável pela regulação da glicemia(nível de glicose no sangue).

Para que as células das diversas partes do corpo humano possam realizar o processo de respiração aeróbica (utilizar glicose como fonte de energia), é necessário que a glicose esteja presente na célula. Portanto, as células possuem receptores de insulina (tirosina quínase) que, quando acionados “abrem” a membrana celular para a entrada da glicose presente na circulação sanguínea. Uma falha na produção de insulina resulta em altos níveis de glicose no sangue, já que esta última não é devidamente dirigida ao interior das células.

Existem tipos de Diabetes, São eles:

 

  • A diabetes tipo 1 resulta da produção de quantidade insuficiente de insulina pelo pâncreas. Este tipo era anteriormente denominado “diabetes insulino-dependente”.Esses pacientes necessitam de aplicação de insulina diariamente. As causas são desconhecidas.

 

  • A diabetes  tipo 2 tem origem na resistência à insulina, uma condição em que as células do corpo não respondem à insulina de forma adequada. À medida que a doença avança, pode também desenvolver-se insuficiência na produção de insulina. Este tipo era anteriormente denominado “diabetes não insulino-dependente”. A principal causa é peso excessivo e falta de exercício físico.

 

Tem  ainda a Diabetes na gestação, que  é a condição em que uma mulher sem diabetes apresenta níveis elevados de glicose no sangue durante a gravidez.

 

Sintomas:

Os sintomas da elevada quantidade de glicose incluem necessidade frequente de urinar e aumento da sede(polidipsia) e da fome(polifagia).

Outros sintomas importantes incluem:

  • perda de peso.
  • visão turva.
  • cetoacidose diabética.
  • síndrome hiperosmolar hiperglicêmica não cetótica.

 

Prevenção e tratamento:

Tanto a prevenção como o tratamento da diabetes consistem em manter uma dieta saudável, praticar regularmente exercício físico, manter um peso normal e abster-se de fumar.

Em pessoas com a doença, é importante controlar a pressão arterial e manter a higiene dos pés.

A diabetes do tipo 1 deve ser tratada com injeções regulares de insulina.

A diabetes do tipo 2 pode ser tratada com medicamentos por via oral como metformina e glibenclamida, com ou sem insulina.

Em pessoas obesas com diabetes do tipo 2, a cirurgia de redução do estômago pode ser uma medida eficaz.

A diabetes gestacional geralmente resolve-se por si própria após o nascimento do bebé. No entanto, se não for tratada durante a gravidez pode ser a causa de várias complicações para a mãe e para o bebê.

 

Complicações Causadas por diabetes:

A diabetes afeta todo o organismo. Quando a glicemia (açúcar no sangue) se mantém elevada durante muito tempo, pode aumentar o risco de complicações crônicas associadas com a diabetes.

Estas complicações incluem:

  • Doença cardíaca e enfarte
  • Lesões renais
  • Lesões oculares
  • Lesões neurológicas
  • Problemas nos pés
  • Doença do foro dentário
  • Disfunção sexual

 

Estima-se que em 2015 cerca de 415 milhões de pessoas em todo o mundo tivessem diabetes. Cerca de 90% dos casos eram diabetes do tipo 2, o que corresponde a 8,3% da população adulta.

A doença afeta em igual proporção mulheres e homens. A diabetes aumenta pelo menos duas vezes o risco de morte prematura. Entre 2012 e 2015, a diabetes foi a causa de entre 1,5 e 5 milhões de mortes anuais.

Complicações agudas:

  • Cetoacidose diabética
  • Cegueira
  • Coma hiperosmolar não cetótico (cerca de 14% dos casos)
  • Hiperglicemia
  • Coma diabético
  • Amputação
  • Miíase

Complicações crônicas:

  • Placas de gordura no sangue (Aterosclerose).
  • Danos na retina (Retinopatia diabética).
  • Hipertensão (por aumento de H2O no sangue, além da glicosilação irregular do colágeno e proteínas das paredes endoteliais o que pode causar tromboses e coágulos por todo o sistema circulatório).
  • Tromboses e coágulos na corrente sanguínea.
  • Problemas dermatológicos (por desnaturação de proteínas endoteliais).
  • Síndrome do pé diabético.
  • Problemas renais como insuficiência renal progressiva (atinge 50% dos pacientes com DM tipo 1).
  • Problemas neurológicos, principalmente no pé, como perda de sensibilidade e propriocepção.
  • Problemas metabólicos generalizados.
  • Fator de risco à periodontite.

Fatores de risco:

Os principais fatores de risco para o diabetes mellitus são:

  • Idade acima de 45 anos.
  • Obesidade.
  • História familiar de diabetes em parentes de 1° grau.
  • Diabetes gestacional ou macrossomia prévia.
  • Hipertensão arterial sistêmica.
  • Colesterol HDL abaixo de 35 mg/dl e/ou triglicerídeos acima de 250 mg/dl.
  • Alterações prévias da regulação da glicose.

Marque sua consulta e mantenha sua saúde em dia!

Câncer de próstata, quando se prevenir?

 

O que é o câncer de próstata?

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma).

Essa é uma doença que se desenvolve um tumor na próstata, glândula do sistema reprodutor masculino.

 

O que é a próstata?

É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha, se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. Sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Importância de um diagnóstico precoce:

As células da próstata começam a se multiplicar de forma desordenada sendo que na fase inicial não apresenta sintomas. Quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95 % dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura.

Em relação à mortalidade, é o segundo tipo de câncer que mais mata homens no país, sendo registrados em 2014 cerca de 14 mil óbitos pela doença, o que corresponde a uma taxa de mortalidade de 14,91 óbitos por 100 mil homens. As Regiões Sul e Centro-Oeste apresentam as maiores taxas brutas de incidência do país.

No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

A única forma de aumentar as chances de cura é o diagnóstico precoce.

 

Recomenda-se visita anual ao urologista para:

  • Homens a partir de 50 anos
  • Homens a partir de 45 anos com fatores de risco

 

Fatores de risco:

  • Histórico familiar de câncer de próstata
  • Obesidade / Alimentação inadequada
  • Raça – Maior incidência em homens da raça negra
  • Tabagismo / Etilismo
  • Sedentarismo

 

Sintomas:

Na fase inicial, dificilmente apresenta sintomas.

Principais sintomas na fase avançada:

  • Fluxo urinário fraco ou interrompido.
  • Vontade de urinar frequentemente à noite (Nictúria).
  • Necessidade de urinar com frequência
  • Sangue na urina e/ou no sêmen
  • Dor ao urinar
  • Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos se a doença se disseminou.

 

Esses sinais e sintomas também ocorrem devido a doenças benignas da próstata.

 Por exemplo:

  • Hiperplasia benigna da próstata é o aumento benigno da próstata. Afeta mais da metade dos homens com idade superior a 50 anos e ocorre naturalmente com o avançar da idade.
  • Prostatite é uma inflamação na próstata, geralmente causada por bactérias.

Na presença de sinais e sintomas, recomenda-se a realização de exames para investigar o câncer de próstata.

 

Principais exames:

  • Toque Retal: avalia o tamanho, a forma e a textura da próstata. Este exame permite detectar alterações e ou presença de nódulos na próstata.

Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal.

  • PSA (Prostate-Specific Antigens, ou antígenos específicos da próstata.): É um exame de sangue que mede a quantidade de uma proteína produzida pela próstata, cujos níveis estão geralmente aumentados nos casos das principais doenças que atingem essa glândula.

Para confirmar a doença é preciso fazer uma biópsia. Nesse exame são retirados pedaços muito pequenos da próstata para serem analisados no laboratório. A biópsia é indicada caso seja encontrada alguma alteração no exame de PSA ou no toque retal.

 

Tratamento:

Para doença localizada, cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em algumas situações especiais) podem ser oferecidos.

Para doença localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados.

Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento de eleição é a terapia hormonal.

A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após discutir os riscos e benefícios do tratamento com o seu médico.

 

O cuidado com a saúde começa com a prevenção:

  • Consulta Médica Regular
  • Alimentação Saudável
  • Saúde Emocional
  • Atividade Física

 

Cuide-se, marque uma consulta com um urologista!

Artrite reumatoide

É uma doença inflamatória crônica e autoimune, atinge principalmente as pequenas articulações das mãos e dos pés.

As doenças autoimunes acontecem quando o nosso próprio corpo nos ataca, o sistema imunológico perde a capacidade de diferenciar o que é nosso do que não é e dessa maneira ele nos ataca.

É também uma doença sistêmica, ou seja, se prolifera a outros órgãos se não tratada inicialmente.

Sintomas:

O principal sintoma da artrite reumatoide é a artrite, porem, devemos saber diferenciar a artralgia da artrite.

A artralgia é a dor nas articulações enquanto a artrite é a inflamação delas. Os principais sintomas de inflamação são: aquecimento, vermelhidão, inchaço e perda de função.

A característica mais marcante da artrite reumatoide é o inchaço localizado na articulação.

 

O que ela pode causar em outros órgãos?

 

Pode atingir os olhos causando episclerite, esclerite, que causam dificuldades visuais e até cegueira.

Pode atingir também o pulmão causando pneumonias intersticiais.

E por fim atingir o coração endurecendo as artérias, o que aumenta a probabilidade de um infarto ou derrame; O que preocupa mais é o risco cardiovascular aumentado pelo processo inflamatório.

O que desencadeia a doença?

Além de a pessoa nascer com essa predisposição genética, é necessário o desencadeamento da doença. O gatilho pode ser uma infecção viral, bacteriana, uma alteração na microbiota intestinal, síndrome metabólica, pressão alta, diabetes, mas o principal deles é o tabagismo.

 

A doença atinge principalmente as mulheres dos 30 aos 50 anos de idade, numa proporção de 3 mulheres para cada 1 homem. Não se sabe ao certo o porquê, arrisca-se dizer que são pelas alterações hormonais frequentes.

Diagnostico:

O diagnóstico da artrite reumatoide é feito principalmente através de exames laboratoriais e os exames de imagem.

É expressamente necessário o diagnostico precoce e o tratamento, pois suas deformidades são irreversíveis.

Tratamentos:

O tratamento consiste no uso de imunossupressores

Embora não exista cura para a artrite reumatoide, fisioterapia e medicamentos podem ajudar a retardar a progressão da doença. A maioria dos casos pode ser tratada com uma classe de medicamentos chamados “drogas antirreumáticas modificadoras de doença”

Ouça a entrevista completa da nossa médica reumatologista Kathleen Daniotti.

Anjos do Lar reúne clientes e parceiros para falar sobre o Mal de Alzheimer

A Anjos do Lar reuniu clientes, parceiros e convidados nesta quinta-feira (13/9), para falar sobre o Mal de Alzheimer, doença que ainda não tem cura mas acomete e mata milhares de pessoas no mundo. O motivo do encontro foi alertar sobre as formas de postergar o aparecimento dos sintomas com ações como a manutenção de uma rotina saudável e mente ativa.

A iniciativa e comando do bate-papo foi da franqueada de Balneário Camboriú do Método SUPERA, Vera Barichello, que está com várias ações de conscientização este mês. De acordo com Vera, pesquisas mostram que nosso cérebro começa a ter declínio cognitivo a partir dos 25 anos e não para mais. Exercitá-lo, portanto, é uma forma de manter as habilidades.

Para contribuir nesta tarefa, a rede de academia de ginástica para o cérebro lançou uma série de e-books para download gratuito. O objetivo é informar e conscientizar acerca dos cuidados que devemos ter com a saúde do cérebro desde sempre.

Os e-books abordam as diferentes formas de cuidar da saúde do cérebro e garantir qualidade de vida como um todo. Eles serão lançados em 4 partes, sendo um por semana, durante todo o mês de setembro. Baixe a primeira edição aqui! 

Tratamento

A iniciativa do Supera vai ao encontro da missão da Anjos do Lar, que é atuar na prevenção e tratamento das pessoas, seja na área da Neurologia ou outras. O Ambulatório de Especialidades da empresa oferece esta especialidade médica, seja para consultas ou atendimentos multidisciplinares relacionados ao tratamento deste e de outros males.

O evento contou também com o apoio do Armazém do Colono, que preparou um coffee break com as delícias naturais da loja que também atua no cuidado com a saúde.